Waack: Números forçam governo a mudar de tom sobre crise energética

Nessa questão, os dados se impõe frente à conduta política no comportamento do governo; já na política a realidade é completamente diferente

Ouvir notícia

No quadro CNN Poder desta quarta-feira (1º), na CNN Rádio, William Waack analisa mudança de tom do governo, que alertou para a importância de um “esforço inadiável” para reduzir o consumo de energia elétrica.

“Hora da verdade, sobretudo, dos números. O governo está cedendo, em boa medida, aos fatos quando se trata da crise hídrica. E o tom do ministro de Minas e Energia [Bento Albuquerque], no pronunciamento ontem [terça-feira] ao país foi muito diferente dos primeiros. É uma situação extraordinariamente grave e difícil e estamos na beira do ‘se não economizarmos todos, ninguém sabe o que vai acontecer'”, afirmou Waack.

Para ele, em relação a esse tema, o comportamento do governo sobre os números pode ser classificado como uma imposição dos dados frente à conduta política.

“Já é um pouco diferente quando falamos dos números do orçamento. Neste caso, os números que o governo apresentou são realistas, não tem espaço para nada”, completou Waack.

Ele ressaltou que não há previsão no orçamento de 2022 para o pagamento de precatórios ou para aumentar o Bolsa Família, “como os interesses político-eleitoreiros gostariam que acontecesse”.

“E aí, como será o comportamento da política? Os números vão mandar nela? Ou a política vai burlar os números. Considerando o fato de que no ano que vem teremos eleições, coitados dos números”, concluiu.

Mais Recentes da CNN