Wagner Rosário pede desculpas a Simone Tebet após ofendê-la na CPI da Pandemia

Ministro da CGU chamou a senadora de "descontrolada" durante o seu depoimento na comissão

Evandro Furonida CNN*

em São Paulo

Ouvir notícia

O ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, pediu desculpas a senadora Simone Tebet (MDB-MS) após tê-la chamado de “descontrolada” durante o seu depoimento na CPI da Pandemia nesta terça-feira (21).

“Senadora Simone Tebet. Apesar de tê-lo feito pessoalmente, reitero meus pedidos de desculpas caso minhas palavras tenham lhe ofendido. Às vezes, no calor do embate, somos agressivos inconscientemente. Estendo minhas desculpas a todas mulheres que tenham se sentido ofendidas”, disse o ministro em uma postagem nas redes sociais.

A ofensa de Rosário desencadeou uma briga durante a sessão da CPI da Pandemia. Após a senadora afirmar que a CGU “passava pano” para o governo, Rosário disse que a senadora estava “descontrolada” e deveria ter “lido todo o processo”.

Os outros senadores reagiram imediatamente. “Respeite a senadora, seu moleque”, disse Otto Alencar (PSD-BA). O vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), classificou como “machista” a postura de Rosário.

Após a sessão ser pausada pela briga, o relator da comissão, o senador Renan Calheiros (MDB-AL), informou que Rosário passou para a condição de investigado pela CPI. 

Após o encerramento da sessão, Tebet afirmou que o caso já era “página virada“. O senador Marcos Rogério, defensor do governo na comissão, disse que Rosário foi “provocado”, mas sua resposta foi “fora do tom”.

Na sessão, Rosário foi questionado sobre uma possível omissão da CGU na fiscalização da compra da vacina indiana Covaxin pelo Ministério da Saúde. O ministro negou qualquer irregularidade na sua atuação ou do ministério.

*Com informações de Doulgas Porto e da Agência Senado

Mais Recentes da CNN