Ministério da Saúde: 1,5 milhão de pessoas não tomaram a 2ª dose da vacina

De acordo com levantamento da pasta, havia doses disponíveis nos postos de saúde, mas os cidadãos não compareceram para serem imunizados contra Covid

Rachel Vargas, Gabrielle Varela e Fernando Alves, da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

Levantamento do Ministério da Saúde aponta que 1,5 milhão de brasileiros não tomaram a segunda dose da vacina contra a Covid-19 no prazo estabelecido pelos laboratórios. O intervalo entre as duas doses da vacina da AstraZeneca é de 84 dias e de 28 para a Coronavac. De acordo com o ministério, as pessoas não compareceram às unidades de saúde dentro do período para garantir a imunização completa, embora houvesse imunizante à disposição.

Agora, segundo a coordenadora do programa nacional de imunizações, Francieli Fontana, a pasta prepara uma lista para enviar aos estados e municípios com a relação de pessoas que não retornaram para se vacinar.  “Vamos emitir uma lista com essa situação e discutir uma forma para buscar essas pessoas a fim de se imunizar.” A orientação, para quem perdeu o prazo, é que procure o quanto antes os postos de vacinação. 

Segundo dados do Ministério da Saúde, São Paulo é o estado com maior número de defasagem com 343.925 mil pessoas. Em seguida vem a Bahia onde 148.877 pessoas não retornaram para tomar a segunda dose. O Rio de Janeiro está em terceiro lugar nesta lista com 143.015 que ainda não tomaram a dose no intervalo certo. 

Em conversa com jornalistas na manhã desta terça-feira (13), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, falou sobre as estratégias da pasta e protocolos estudados para enfrentar a pandemia. Há três semanas no comando do Ministério, Queiroga evitou fazer previsões de quando o Brasil voltará à normalidade já que, para isso, é necessário acelerar a vacinação o que depende de imunizantes. Atualmente, o Brasil enfrenta o problema no recebimento de Insumos Farmacêuticos Ativo (IFA). 

Vacinação contra Covid-19 em Magé, Rio de Janeiro
Vacinação contra Covid-19 em Magé, Rio de Janeiro
Foto: Pilar Olivares/Reuters (7.abr.2021)

Queiroga informou que o Ministério da Saúde prepara um protocolo sanitário para disciplinar o uso de transporte público durante a pandemia. O documento deve ser apresentado na quinta-feira (15) para estados e municípios. O ministro informou que essa é uma forma de tentar evitar aglomeração no transporte público, mas reconheceu que não há como a pasta impor medidas restritivas, já que isso cabe a cada ente da federação. 

“Muitas pessoas que trabalham usam os transportes urbanos. Então será que a gente não pode melhorar? Vai ser um documento com tudo escrito, a ideia é fazer uma campanha. ” 

O ministro explicou que dentre as orientações está o uso de máscara de forma severa e o distanciamento social. “O Brasil é um país continental, uma medida linear, uma medida homogênea no país inteiro seguramente não vai funcionar, então é disciplinar determinadas condutas, como o uso de máscaras de uma maneira rigorosa. 

“Não são medidas referentes a lockdown, são medidas justamente para se evitar que chegar a cenários extremos.”

O ministro da Saúde informou que recebendo mais doses da vacina, será possível aumentar a quantidade de pessoas vacinadas diariamente. “Se tivermos doses disponíveis, que é o esforço que nós estamos fazendo, nós vamos imunizar 2,4 milhões de brasileiros todos os dias”, afirmou Queiroga.

Mais Recentes da CNN