Como limpar seu celular e que produtos usar, segundo a Apple


Da CNN Brasil, em São Paulo
20 de março de 2020 às 17:08

Diante da pandemia de coronavírus e do aumento das medidas de higiene para prevenir o aumento do contágio da doença, surgem dúvidas sobre possíveis vetores de doença que passam despercebidos. É o caso do celular, o faz tudo do mundo moderno que nos acompanha a todo momento.

É por estarmos com ele e por colocá-los em nosso rostos algumas vezes ao dia que o smartphone se tornou o novo foco de combate contra o coronavírus, ao ponto da Apple ter atualizado sua página de suporte para incluir novas indicações. No mundo pré-coronavírus, a Apple era totalmente contra o uso de álcool em seus aparelhos. Com a nova realidade, a empresa da maçã recomendações de saúde, mudaram suas diretrizes e começaram a indicar o álcool isopropílico 70%, assim como a operadora americana AT&T.

A mudança tem explicação química. O álcool comum, que é usado para combustíveis e encontrado em supermercados é o etílico, cuja composição leva água, segundo o professor de engenharia química da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, Cláudio Oller. Segundo ele, a recomendação para o uso de álcool isopropílico está na ausência de água em sua composição.

“O álcool isopropílico não tem água, por isso que é recomendado para limpar computadores, pois há menos chances de oxidar sistemas eletrônicos caso entre algum líquido nas cavidades do aparelho”, explica o professor, corroborando indicação da própria Apple de evitar umidade nas entradas dos gadgets.

Além do produto, as empresas recomendam o uso lenços umedecidos, que devem ser passados nas partes “duras e não porosas” de seu aparelho, indo na contramão das indicações pré-coronavírus, onde as empresas diziam ser necessário passar apenas panos de microfibras seco para limpar o celular.