Cachorros são treinados para detectar o novo coronavírus


Leonardo Lopes da CNN, em São Paulo
27 de março de 2020 às 14:07 | Atualizado 27 de março de 2020 às 15:43
Cachorros detectam coronavírus

Cachorros do Medical Detection Dogs devem estar preparados para detectar o novo coronavírus em seis semanas

Foto: Medical Detection Dogs/Divulgação

Os cachorros podem se tornar os mais novos aliados na detecção de casos do novo coronavírus. Essa é a aposta da ONG britânica Medical Detection Dogs, que vem treinando os animais para rastrear pessoas contaminadas pela doença. 

A ONG, reconhecida há anos por suas pesquisas sobre o olfato apurado dos cachorros, trabalha em conjunto com a Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres (LSHTM) e a Universidade de Durham. Recentemente, a parceria já conseguiu comprovar a eficácia dos animais na detecção de malária. 

A expectativa dos especialistas é de que em seis semanas os cachorros estejam prontos para detectar o novo coronavírus até mesmo em pessoas assintomáticas. “Juntos, começamos os preparativos para treinar intensamente os cães, para que eles estejam prontos para oferecer um diagnóstico rápido e não invasivo no final da epidemia.” 

Os animais já foram colocados à disposição do governo do Reino Unido para ajudar na operação contra a pandemia. A ONG ainda deixou claro que o treinamento já foi eficaz para a detecção de câncer, mal de Parkinson e infecções bacterianas. 

“Eles farejam amostras das doenças no quarto de treinamento e indicam quando encontraram. Eles também conseguem detectar mudanças sutis de temperatura da pele, então tem o potencial de dizer se alguém está febril”, contou a Medical Detection Dogs em nota. 

O professor Steve Lindsay,  da Universidade de Durham ainda explicou que a pesquisa pode permitir o trabalho  dos cães de detecção da COVID-19 em aeroportos, para identificar rapidamente pessoas carregando o vírus. “Isso ajudaria a prevenir o ressurgimento da doença depois que controlarmos a atual epidemia.”