Laboratórios nacionais não fazem teste para COVID-19 por falta de material

Mesmo com fila de exames, sete laboratórios autorizados pela Anvisa não estão operando

Reuters
15 de abril de 2020 às 22:09
Processamento de teste para COVID-19
Foto: David Ryder/Reuters (14.abr.2020)

Apesar do acúmulo de mais de 90 mil amostras aguardando testes para o novo coronavírus e um número crescente de mortes no Brasil, existem laboratórios no país ociosos devido à falta de materiais para análise de casos de COVID-19. A informação é do Ministério da Agricultura.

A pasta disse à Reuters que sete laboratórios disponibilizados para testes de coronavírus e autorizados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) ainda não estão sendo usados por falta de insumos.

São cinco LFDA (Laboratórios Federais de Defesa Agropecuária) e dois da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), de acordo com respostas enviadas à Reuters nesta segunda-feira (13).

Em nota, o ministério afirma que essas instalações poderiam processar inicialmente 12 mil testes por semana, mas não estão recebendo os reagentes e os insumos necessários para a realização do trabalho.

Separadamente, a Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, informou a possibilidade de uso de 47 laboratórios seus, o que permitiria, potencialmente, o processamento de quase 430 mil testes de COVID-19 por dia.

O Ministério da Saúde não respondeu o motivo pelo qual os laboratórios oferecidos ainda não estão sendo utilizados.

A pasta comandada pelo ministro Luiz Henrique Mandetta disse que se esforça para aumentar os testes "mesmo diante da falta de insumos e da alta procura mundial por kits de testagem".

O sistema público de saúde realizou 89 mil testes para Covid-19, segundo o comunicado. Na segunda-feira, o ministério disse que havia um total de 93 mil testes pendentes.

Há uma demora no Brasil para a realização de testes em massa, apesar da recomendação da OMS (Organização Mundial da Saúde) de "testar, testar, testar".

A falta de testes significa que o Brasil pode ter 12 vezes mais casos do novo coronavírus do que está sendo oficialmente divulgado, segundo um estudo.

Leia também:

Brasil pode ter 12 vezes o nº de casos oficiais de COVID-19, diz estudo

Na quarta-feira (15), o governo anunciou que existem 28.320 casos confirmados de COVID-19 no Brasil e 1.736 mortes.

O Ministério da Agricultura informou: "Os laboratórios estão aguardando a compra de reagentes e insumos para a realização dos testes."

Segundo o Ministério da Saúde, 451.432 testes foram distribuídos aos Estados, mas a pasta não esclareceu se alguns deles seriam usados nos laboratórios do Ministério da Agricultura.

Uma fonte do governo disse que um dos principais problemas é a ausência de coordenação entre os ministérios da Saúde e da Agricultura. A fonte, que pediu anonimato, afirmou que a falta de reagentes pode ser superada através do desenvolvimento de novos protocolos usando bioquímicos alternativos.

O Ministério da Agricultura confirmou na quarta-feira que novos protocolos, ou ritos laboratoriais, poderiam ser adotados, ampliando a capacidade da rede.