Saúde anuncia diretriz para isolamento, mas adia detalhamento das medidas

Ministro Nelson Teich pretende buscar 'consenso' com estados e municípios antes de divulgar orientações para a quarentena

Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo
11 de maio de 2020 às 20:19
O ministro da Saúde, Nelson Teich, durante entrevista coletiva a respeito da pandemia do novo coronavírus
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O ministro da Saúde, Nelson Teich, realizou uma entrevista coletiva nesta segunda-feira (11) com a intenção de apresentar as ações e as diretrizes que a pasta fornecerá para que estados e municípios definam as medidas de isolamento social.

Em um documento, chamado de "estratégia de gestão de riscos", o ministério cita cinco níveis de distanciamento social, que iriam de "Distanciamento social seletivo I" até "Restrição máxima". Questionado pela CNN sobre quais as medidas a serem adotadas em cada nível, o ministro Nelson Teich se recusou a responder, afirmando que só fornecerá os detalhes na próxima quarta-feira (13).

De acordo com a estratégia informada, secretários estaduais e municipais terão um questionário para responder, a respeito de capacidade do sistema de saúde, estágio da pandemia da Covid-19, velocidade de disseminação e índices de mobilidade urbana.

A apresentação enviada diz que os estados poderão pontuar de 0 a 40 pontos, se encaixando em um dos cinco modelos. A íntegra do questionário não foi apresentada, bem como o "score" para cada um dos níveis. Um exemplo do questionário, com uma página anexada na apresentação, traz algumas perguntas, como se há diminuição do número de novos casos e se houve redução do ritmo de novas mortes.

Minutos antes de se recusar a responder às perguntas, o ministro Nelson Teich havia se queixado de não ter sido perguntado sobre quais os diferentes níveis possíveis de isolamento social. Ele também afirmou que a diretriz está pronta há cerca de 10 dias.

Assista e leia também:

Ex-presidente da Anvisa defende fila única de leitos, unindo SUS e rede privada

Covid-19 mata mais no Brasil que tuberculose, dengue e outras doenças somadas

'SUS está fazendo o que pode pela população', diz Roberto Kalil Filho

A apresentação parcial do ministro aconteceu depois de uma reportagem do jornal "O Estado de S.Paulo" de que o Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), órgão que representa os secretários estaduais de saúde, e o Conselho Nacional dos Secretários Municipais de Saúde (Conasems), rejeitaram as diretrizes propostas pelo Ministério da Saúde.

Teich disse que havia se reunido com os conselhos no sábado (9) e tido uma sinalização positiva. Sem entrar em detalhes sobre as divergências, o ministro da Saúde disse esperar chegar a um "consenso" com os órgãos. "Espero e acredito que a gente saia na quarta-feira com uma posição única, mas se isso não acontecer a gente sempre vai ter essa ferramenta disponível", disse.

A promessa de uma diretriz para orientar estados e municípios sobre quais medidas de distanciamento são mais coerentes com as suas realidades locais está marcando a gestão do ministro Nelson Teich desde que esse tomou posse, em 17 de abril. O ministro adota o argumento de que os estados brasileiros são atingidos de forma muito diferente pela Covid-19, o que justificaria a adoção de medidas diversificadas.