Em 10 dias, número de cidades do interior de SP com Covid-19 cresce quase 20%

Segundo a atualização mais recente da Secretaria Estadual de Saúde, há 47.711 casos confirmados de Covid-19 no estado de São Paulo, com 3.949 mortes

Da CNN, em São Paulo
12 de maio de 2020 às 13:30 | Atualizado 12 de maio de 2020 às 13:31
Secretário do Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, durante Coletiva de imprensa sobre Coronavírus. São Paulo, 08 de maio de 2020.
Foto: Governo do Estado de São Paulo

Em coletiva de imprensa, realizada na manhã desta terça-feira (12), o secretário de Desenvolvimento Regional de São Paulo, Marco Vinholi, alertou para o avanço do novo coronavírus no interior do estado. “A proporção do número de óbitos no interior tem crescido em relação à do número na capital”, declarou.

“O número de mortes no interior do São Paulo representa 57% do número de mortos na Argentina hoje”, alertou. 

Ainda na coletiva, Marco Vinholi apresentou um gráfico que ilustra o avanço da pandemia no interior do estado. No primeiro dia de abril, 16 cidades haviam relatado mortes por Covid-19. Já no primeiro dia de maio, 151 municípios tinham registros. Nessa segunda-feira (11), mais 26 cidades relataram mortes por coronavírus, totalizando 177 municípios, com um crescimento de 18,5% em dez dias. 

Leia também:

Monumentos da cidade de São Paulo ganham máscaras de proteção contra Covid-19

Trânsito em São Paulo cai 80% no primeiro dia de ‘super rodízio’

Covid-19: Hospitais de campanha em SP têm quase 60% dos leitos ocupados

O presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde, Geraldo Reple, também demonstrou preocupação com a situação. “25% dos municípios com menos de 10 mil habitantes já têm casos de Covid-19”, disse. 

Segundo a atualização mais recente da Secretaria Estadual de Saúde, há 47.711 casos confirmados de Covid-19 no estado de São Paulo, com 3.949 mortes. 

A taxa de ocupação nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) no estado é de 69,1%. Na Grande São Paulo, a porcentagem atual de leitos ocupados é de 85,7%. Na segunda-feira (11), a porcentagem na região metropolitana de São Paulo era de 89,6%. Segundo Germann, a queda se deve à entrada de novos leitos no sistema de saúde.