Amazonas inaugura ala de hospital exclusiva para tratar indígenas com Covid-19

O estado concentra 470 dos 824 casos confirmados entre indígenas pela Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena)

Da CNN, em São Paulo
26 de maio de 2020 às 15:27 | Atualizado 26 de maio de 2020 às 15:32
O governador Wilson Lima, o secretário de saúde indígena Robson da Silva e o ministro interino da Saúde Eduardo Pazuello participam de inauguração da ala indígena no hospital Nilton Lins, em Manaus
Foto: Divulgação/Ministério da Saúde (26.mai.2020)

Foi inaugurada na manhã desta terça-feira (26) uma ala para atender indígenas com Covid-19 no hospital Nilton Lins, em Manaus.

O local tem 53 leitos —33 clínicos, 15 de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) e cinco de UCI (Unidade de Cuidados Intermediários —, uma sala para os pajés e espaço para armar redes.

De acordo com o governador Wilson Lima (PSC), profissionais de saúde e representantes da comunidade indígena foram consultados para a construção do lugar, para que se adequasse aos costumes e tradições de cada povo. Ele também disse que a ala atenderá não somente os que vivem em aldeias, mas qualquer um que se declare como indígena.

O Amazonas concentra 470 dos 824 casos confirmados entre indígenas pela Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena). O órgão contabiliza somente os episódios dentro de regiões atendidas pelos DSEIs (Distritos Sanitários Especiais Indígenas).

Leia também:

Covid-19: taxa de mortalidade entre indígenas é o dobro da média brasileira

A inauguração contou com a presença do ministro interino da Saúde, o general Eduardo Pazuello, que cumpre agenda em Manaus. Ele não participou da entrevista coletiva após o evento.

Ala indígena no hospital Nilton Lins em Manaus tem espaço para armar redes e sala do pajé
Foto: Divulgação/Ministério da Saúde (26.mai.2020)