OMS interrompe estudos com hidroxicloroquina e remédios para HIV contra Covid-19


Stephanie Nebehay, da Reuters
04 de julho de 2020 às 16:22
Profissional da saúde com comprimido de cloroquina em hospital de Porto Alegre

Profissional da saúde com comprimido de cloroquina em hospital de Porto Alegre

Foto: Diego Vara/Reuters (23.abr.2020)

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou neste sábado (4) que está interrompendo os testes com o medicamento para malária hidroxicloroquina e o combinado contra o HIV lopinavir/ritonavir em pacientes hospitalizados com Covid-19, depois do fracasso dos remédios na redução da mortalidade pela doença.

"Esses resultados preliminares mostram que a hidroxicloroquina e o lopinavir/ritonavir produzem pouca ou nenhuma redução na mortalidade de pacientes com Covid-19 hospitalizados quando comparados ao padrão de atendimento. Os investigadores do estudo de solidariedade interromperão os ensaios com efeito imediato", afirmou a OMS em comunicado, referindo-se a amplas análises em vários países que a agência está liderando.

Leia também:

Medicamentos para HIV não ajudam pacientes com Covid-19, mostra estudo

Estudo americano vê resultados positivos da hidroxicloroquina para a Covid-19

A agência da ONU disse que a decisão, tomada por recomendação do comitê de condução internacional do estudo, não afeta outros estudos em que os medicamentos são usados para pacientes não hospitalizados ou como profilaxia.

Outro braço do estudo liderado pela OMS está analisando o efeito potencial sobre o Covid-19 do remédio antiviral remdesivir, da Gilead.