Não há retorno ao 'antigo normal' em futuro próximo, diz diretor-geral da OMS

Não há atalhos para fora desta pandemia, afirma Tedros Adhanom Ghebreyesus

da CNN*
13 de julho de 2020 às 14:59
Tedros Adhanom, diretor-geral da OMS, durante entrevista coletiva em Genebra
Foto: Christopher Black - 16.mar.2020/ Reuters

O diretor-geral da OMS (Organização Mundial da Saúde) afirmou nesta segunda-feira (13) que não vê "retorno ao antigo normal em um futuro próximo".

Em entrevista coletiva em Genebra, ele disse que existem diretrizes para uma situação em que a doença é controlada e as vidas podem seguir em frente. 

Para chegar a esse cenário, ele listou três requerimentos: um foco em redução de mortalidade e contenção da transmissão, indivíduos engajados que tomam medidas de precaução para protegerem toda a comunidade e uma liderança governamental e comunicação fortes.

"Pode ser feito, deve ser feito", declarou.

Leia também:

Estudo da USP investiga por que algumas pessoas não se infectam com a Covid-19

Suposta imunidade de rebanho é 'inatingível', diz estudo espanhol

'São Paulo pode estar próxima da imunidade de rebanho', avalia biólogo

 

Para ele, se esse caminho não for seguido, a pandemia pode ficar "pior e pior". 

A OMS afirmou que, dos 230 mil casos de Covid-19 confirmados neste domingo (12) em todo o mundo, 80% eram de dez países e 50% de apenas dois países —o Brasil e os Estados Unidos são os mais afetados. 

Até o momento, quase 13 milhões de pessoas já foram diagnosticadas com a Covid-19 globalmente, aponta a universidade Johns Hopkins.

(Com informações da CNN Internacional e da Reuters)