Visão Responde: por quanto tempo a Covid-19 pode sobreviver no organismo?

Teste positivo do presidente Jair Bolsonaro para a doença após duas semanas gerou dúvidas

Da CNN
22 de julho de 2020 às 15:42 | Atualizado 22 de julho de 2020 às 16:15

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) testou positivo novamente para o novo coronavírus. O exame para detecção da doença foi feito na terça-feira (21) e o resultado saiu nesta quarta (22). A confirmação de que o presidente contraiu a doença ocorreu em 7 de julho, o que significa que ele está há mais de 15 dias com a Covid-19.

Isso gerou dúvidas sobre por quanto tempo o vírus pode ficar no nosso organismo. Segundo João Prats, infectologista da Beneficência Portuguesa de São Paulo, é comum que casos como o de Bolsonaro aconteçam. Ele citou um estudo chinês que mostra que até 45% das pessoas entre 15 e 40 dias após o diagnóstico ainda vão testar positivo. 

Ele citou também a Coreia do Sul – referência mundial no combate à doença. Segundo ele, o país começou analisando os pacientes que, mesmo após as duas semanas do diagnóstico, testaram positivo. Eles ficavam isolados e todos os seus contatos eram monitorados. 

Até que foi feita uma pesquisa mais detalhada: começaram a monitorar 400 pessoas que tinham testado positivo depois de ter contraído a doença e outras 800 que tiveram contato com elas. De acordo com os resultados, nenhuma das pessoas adoeceu. 

Assista e leia também:

Por que o álcool em gel ficou grudento desde o início da pandemia de Covid-19?

Voluntária da vacina de Oxford relata 'sintomas leves' após receber dose

“Além disso, da amostra de 400 pessoas, foram escolhidas 100 pessoas, e destas foram coletadas amostras do nariz para tentar verificar se o vírus era capaz de infectar outras células. Nenhum desses testes deu positivo”, contou. 

Por isso, a recomendação anterior, que era a de isolar as pessoas, não foi adiante. Os indivíduos puderam voltar às atividades normais, cumprindo os protocolos de segurança. 

"Por causa desses dados, nós não ficamos fazendo o [exame] PCR de controle, exceto em situações muito específicas, como em pacientes imunossuprimidos", disse.

Prats falou ainda que o exame PCR feito para diagnosticar a Covid-19 é bem certeiro, diferentemente do teste de sorologia e outros métodos.

Portanto, como não existem casos de reinfecção e nenhuma evidência de que as pessoas que têm o PCR positivo por muito tempo transmitam a doença, os especialistas continuam recomendando que elas permaneçam em isolamento por duas semanas a partir do início dos sintomas.

Se os sintomas continuarem persistentes após os 14 dias, o ideal é permanecer em isolamento. 

(Edição: Bernardo Barbosa)