Paraná faz acordo com farmacêutica chinesa para testes de vacina contra Covid-19


Gabriel Passeri, da CNN em São Paulo
29 de julho de 2020 às 22:34
Frascos e seringas ilustram vacina potencial para Covid-19

Frascos e seringas ilustram vacina potencial para Covid-19

Foto: Dado Ruvic/Reuters (10.abr.2020)

A empresa farmacêutica chinesa Sinopharm e o governo do Paraná concordaram em lançar o quarto grande teste de vacina contra a Covid-19 no Brasil, e buscam agora aprovação da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) e do Ministério da Saúde para iniciar as pesquisas em território nacional. A parceria foi feita por meio do Tecpar (Instituto de Tecnologia do Paraná).

O governador Ratinho Junior (PSD) assinou na terça-feira (28) termo de confidencialidade com a estatal chinesa. A expectativa é que o processo de produção da vacina possa começar ainda no mês de agosto.

O termo científico regulatório e o protocolo sanitário de validação precisam ser estabelecidos para identificação do melhor modelo de testagem a ser seguido. No caso da manutenção dos resultados favoráveis, haverá repasse de tecnologia por parte do Sinopharm para que o Tecpar possa produzir a vacina. A empresa pretende finalizar os testes em humanos em três meses. Uma parceria semelhante foi feita entre o Instituto Butantã, em São Paulo, e a empresa Sinovac Biotech, também chinesa.

O acordo garante ao governo paranaense o acesso ao resultado das duas primeiras fases de testagem. Segundo o laboratório, os processos iniciais, já encerrados fora do país, tiverem 100% de positivação e sem efeitos colaterais graves. Atualmente, apenas os Emirados Árabes Unidos, com 15 mil voluntários, participaram da experiência. 

Leia também:

Mesmo sem concluir testes, Rússia planeja produzir vacinas a partir de setembro

Vacina da Moderna protege contra a Covid-19 em estudo com macacos

De acordo com o governador, a intenção é fazer do instituto paranaense um polo produtor e distribuidor do medicamento para o restante do Brasil, além de países da América do Sul. A intenção é de que nos próximos 15 dias o termo seja submetido aos órgãos regulatórios. Após a aprovação, deve ser iniciada a fase de testagem da população, possivelmente até o fim de agosto. 

Apenas após resultados satisfatórios obtidos na fase 3 será possível iniciar as tratativas para a produção, uma nova etapa na parceria. Inicialmente, os resultados dos estudos clínicos devem ser submetidos à Anvisa e ao Ministério da Saúde, para que seja solicitada a permissão de produção.

Em 20 de julho, o governo do Paraná enviou uma emenda ao projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2021 para alocar R$ 100 milhões para aquisição de vacinas contra o novo coronavírus.

O Paraná também negocia uma parceria com a Rússia para a produção de outra vacina contra o novo coronavírus. A cooperação técnica deve ser discutida com o embaixador da Rússia no Brasil, Sergey Akopov, nos próximos dias.