Um a cada três testes do tipo RT-PCR em SP dá positivo para Covid-19


Estadão Conteúdo
30 de julho de 2020 às 21:09
Profissional aplica teste do tipo RT-PCR para detecção do novo coronavírus

Profissional aplica teste do tipo RT-PCR para detecção do novo coronavírus

Foto: Callaghan O'Hare/Reuters (23.jun.2020)

Um em cada três testes do tipo RT-PCR enviados para a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo dá positivo para o novo coronavírus. A informação foi divulgada em coletiva nesta quinta-feira (30) por Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus e da coordenadoria de Controle de Doenças do estado.

Ele também disse que, no caso dos testes do tipo sorológico rápido, um em cada quatro exames dá positivo.

O estado de São Paulo registrou 321 mortes e 14.809 novos casos pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo informou o governo estadual. São 529.006 infectados e 22.710 óbitos. Os números estão dentro projeções feitas pelo Centro de Contingência contra a Covid-19.

Leia também:

Entenda como pessoas que não tiveram Covid-19 podem ter imunidade ao vírus

Vale do Ribeira tem piora em indicadores da Covid-19 e alerta governo de SP

Segundo essa estimativa, o estado teria entre 21 mil e 26 mil mortes pelo novo coronavírus até o final de julho. Em números de casos confirmados da doença, a estimativa é de que, até o final do mês, o estado teria entre 510 mil a 600 mil casos.

Cerca de 60% dos testes são no formato RT-PCR, 27% são do tipo sorológico rápido e 13% são de outros métodos. Até 27 de julho, foram realizados 1.778.225 testes no estado.

A secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, afirmou que o ligeiro aumento no número de casos nas últimas semanas deve-se ao aumento da testagem.

"Essa média diária de 23 mil testes equivale a 50 ou 52 testes a cada 100 mil habitantes. O governador João Doria nos tinha colocado a meta para chegar em agosto a 72 testes a cada 100 mil habitantes. Com esses dados, nós estamos quase chegando a essa meta já no mês de julho".

"O trabalho de isolamento de contatos que está sendo realizado pela vigilância já se comprova também nos números. Aumentamos a testagem e nos últimos sete dias teve um aumento de casos, porque estamos testando mais, mas uma estabilidade nas internações. E uma estabilidade para uma leve redução já de óbitos", continuou.

Ainda de acordo com Patrícia, o Plano São Paulo de reabertura econômica não teve impacto no aumento da pandemia. A taxa de ocupação dos leitos de UTI na Grande São Paulo é de 62,9%. No estado, de 65,1%.

São Paulo tem 5.099 pacientes internados em leitos de terapia intensiva e 7.164 em leitos de enfermaria. São 349.287 casos recuperados e 67.799 altas hospitalares no total.