Correspondente Médico: Como a curiosidade pode estimular a aprendizagem?

Ao falar sobre viagem espacial, Fernando Gomes abordou como a curiosidade se torna incentivo e motivação para experiências que se transformam em conhecimento

Da CNN
31 de julho de 2020 às 09:18

Na quinta-feira (30), a Nasa lançou a sonda Perseverance, que tem como objetivo estudar sinais de vida em Marte. Para além das questões tecnológicas e até econômicas, o avanço das missões espaciais tem origem também na curiosidade humana em relação ao universo.

Na edição desta sexta-feira (31) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes explica que a curiosidade humana está inserida no contexto do ciclo do saber e serve como estímulo para novos aprendizados.

"A curiosidade nos motiva e faz com que tenhamos experiências. Ela motiva e potencializa a nossa capacidade de aprender. Isso vira um ciclo virtuoso relacionado a nossa aprendizagem. 

Leia e assista também:

Perseverance: assista ao lançamento da sonda da Nasa
Perseverance: Pouso é a etapa mais crítica de missão da Nasa, explica cientista
Correspondente Médico: Quando procurar um especialista para tratar o medo?

A curiosidade como motivadora de novos aprendizados vai além das viagens espaciais e, segundo o especialista, serve para "qualquer área da vida".

"Uma criança que está aprendendo a andar por volta dos oito meses está desenvolvendo essa curiosidade e colocando em prática a aquisição dessa habilidade motora", exemplifica.

Por outro lado, a curiosidade também pode gerar um tipo de ansiedade que é usado para fins comerciais, por exemplo.

"Esse é o princípio da propaganda. Gerar um desejo de se conhecer alguma coisa e uma expectativa. Como vivemos em uma sociedade em que o ter acaba sendo muito mais valorizado do que o ser, naturalmente caímos como uma cobaia nessa jogada", alertou.

(Edição: Sinara Peixoto)