Apenas duas cidades de São Paulo ainda não têm casos de Covid-19

Santa Mercedes e Ribeirão Corrente tem menos de 5 mil habitantes, de acordo com dados do IBGE

Anna Satie, Henrique Andrade e André Rosa, da CNN, em São Paulo
09 de agosto de 2020 às 17:19 | Atualizado 09 de agosto de 2020 às 18:35
As cidades de Ribeirão Corrente e Santa Mercedes, no estado de São Paulo
Foto: Divulgação/Prefeitura de Ribeirão Corrente/Câmara Municipal de Santa Mercedes

Apenas duas cidades do estado de São Paulo ainda não registraram casos de Covid-19 até este domingo (9). São Santa Mercedes e Ribeirão Corrente, ambas com menos de 5 mil habitantes, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A primeira fica no oeste do estado, quase na fronteira com o Mato Grosso do Sul, e a 686 km de distância da capital. A segunda é na região metropolitana de Franca, nordeste paulista (426 km de São Paulo).

Com 627.126 casos confirmados e 25.114 mortes pela Covid-19, São Paulo é o estado com a maior incidência do novo coronavírus no país, que acaba de ultrapassar a marca de 3 milhões de casos.

Leia também:

Máscara pode reduzir gravidade de infecção por Covid-19, diz especialista

Estudo mostra por que algumas pessoas são mais resistentes à Covid-19; entenda

Desde junho, o interior do estado ultrapassa a capital em número de casos, no movimento que é chamado de "interiorização" da doença. À CNN, o infectologista Roberto Medronho disse que o alto platô da Covid-19 no Brasil tem sido mantido por esse processo.

"O nosso país é continental, com muitos problemas de desigualdade histórica, estrutural. Diferente dos países menores da Europa, o processo pandêmico atinge as populações em momentos distintos", explicou. "Tivemos o início atingindo São Paulo, Rio de Janeiro, as capitais do litoral. Depois ela passa especialmente nas que tinham maior poder aquisitivo, que viajaram para a Europa, à Ásia, passa a adentrar as periferias urbanas e agora está no processo de interiorização. É por isso que o platô ainda está mantido".

O Ministério da Saúde confirmou neste sábado (8) que foi ultrapassada a marca de 100 mil mortos e 3 milhões de casos da doença em território nacional. Na última semana, o país registrou uma média de 43 mil diagnósticos e 990 vítimas fatais por dia.