Fauci diz 'duvidar seriamente' que Rússia tenha provado segurança de vacina

Imunologista da Casa Branca afirma que ter uma vacina e provar que ela é segura e eficaz são duas coisas diferentes

Lauren Mascarenhas, da CNN
12 de agosto de 2020 às 00:51 | Atualizado 10 de setembro de 2020 às 19:35
Anthony Fauci fala durante audiência no Senado dos EUA
Anthony Fauci fala durante audiência no Senado dos EUA
Foto: Al Drago/Reuters (30.jun.2020)

Após a Rússia afirmar que aprovou uma vacina contra o novo coronavírus nesta terça-feira, o Dr. Anthony Fauci, imunologista da Casa Branca, disse duvidar seriamente que os russos tenham provado que sua vacina é segura e eficaz.

“Espero que os russos tenham realmente provado definitivamente que a vacina é segura e eficaz. Duvido seriamente que eles tenham feito isso”, disse Fauci a Deborah Roberts da ABC News em um evento da National Geographic a ser transmitido na quinta-feira. Uma parte da entrevista foi postada pela National Geographic na terça-feira.

Leia também:
'Não daremos a 10 milhões amanhã, será gradual', diz financiador de vacina russa

Haverá 15 milhões de doses da Coronavac no SUS até dezembro, diz Doria

A vacina da Rússia para a Covid-19 é confiável?

Governo do Paraná e Rússia assinarão acordo para fabricação da vacina Sputnik V

Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, disse que ter uma vacina e provar que ela é segura e eficaz são duas coisas diferentes.

“Temos meia dúzia ou mais de vacinas”, disse Fauci. “Então, se quiséssemos arriscar machucar muitas pessoas ou dar a elas algo que não funciona, poderíamos começar a fazer isso, sabe, na próxima semana, se quiséssemos. Mas não é assim que funciona."

Fauci afirmou que "se e quando" os americanos ouvirem anúncios de países como a Rússia ou a China sobre o desenvolvimento de vacinas, eles devem se lembrar que os Estados Unidos têm certos padrões de segurança e eficácia em vigor. Os fabricantes da vacina russa ainda não divulgaram quaisquer dados de testes em humanos.

A US Food and Drug Administration afirmou que só aprovará uma vacina se ela atender a um requisito de eficácia de 50%.

Em uma declaração enviada por e-mail na terça-feira, a Organização Mundial da Saúde disse que está em contato com cientistas e autoridades russas e espera revisar os detalhes dos testes. De acordo com a OMS, existem 28 vacinas em testes em humanos em todo o mundo.

(Este texto é uma tradução. Leia a matéria original aqui)