Correspondente Médico: Usar o celular antes de dormir afeta a saúde?

Deixar o aparelho de lado segundos antes de cair no sono pode afetar a saúde mental, o equilíbrio e até mesmo a fixação da memória; entenda

Da CNN
20 de agosto de 2020 às 08:48

Quem nunca dormiu com o celular na mão enquanto explorava alguma rede social ou só colocou o aparelho de lado segundos antes de cair no sono? Na edição desta quinta-feira (20) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes fala sobre como o uso do celular antes de dormir pode afetar a saúde física e mental.

"A tecnologia traz para gente um processo bem prático da globalização para se comunicar, mas quando a pessoa passa a priorizar e ter uma vida principal dentro das redes sociais, a gente fica muito preocupado", avalia ele.

Um dos motivos tem ligação com o que acontece no corpo nas relações que vão além da tecnologia e representam melhor a realidade como ela é. 

"É muito mais relevante o contato físico, no qual temos a entrada sensorial completa acontecendo no cérebro, do que estabelecimento de vínculos que, muitas vezes, têm uma importância emocional com um aparelho, que vai traduzir apenas recortes do que a realidade pode representar", reflete.

Leia e assista também:

Correspondente Médico: Como as redes sociais afetam o cérebro?
Correspondente Médico: Pandemia prejudica sono e muda sonhos dos brasileiros
Fundo do TikTok vai incentivar criadores, dizem influenciadora e especialista

Correspondente Médico: o neurocirurgião Fernando Gomes fala sobre uso do celular
Correspondente Médico: o neurocirurgião Fernando Gomes fala sobre uso do celular na hora de dormir
Foto: CNN (20.ago.2020)

O momento apropriado para dormir deveria envolver a redução da atenção dos arredores. "Levando o celular para a cama, você deixa um elemento em que ficará focado quando fisiologicamente não é para isso acontecer. 

Para além disso, questões como a luminosidade do aparelho podem afetar (e muito) a saúde de quem adormece checando as últimas atualizações na telinha. Isso porque a escuridão durante o período de sono é essencial para funções naturais do organismo.

"A ausência da entrada luminosa faz com que o hormônio melatonina seja liberado para glândula pineal , e isso faz parte do processo natural do adormecimento, o que propicia uma saúde mental, equilíbrio e até mesmo a fixação da memória", explica.

"Quando você atrapalha esse mecanismo com a luz do celular, por exemplo, isso interfere na qualidade do sono, na cognição e na emoção da pessoa no dia seguinte e durante a própria vida", acrescenta.

Como dica para uma boa noite de sono, Gomes indica parar de mexer no celular pelo menos uma hora antes de ir dormir e aplicar a chamada higiene do sono, que consiste em fazer do quarto uma espécie de caverna isolada dos estímulos externos. "Para que você possa viver esses 30% do tempo da sua vida [que acontece durante o sono] de uma forma bem equilibrada", conclui.

(Edição: André Rigue)