Vacina da AstraZeneca é a terceira a entrar na última fase de testes nos EUA

Valuntários receberão duas doses ativas ou de placebo, com intervalo de duas semanas

Da CNN
31 de agosto de 2020 às 19:59 | Atualizado 31 de agosto de 2020 às 21:47

 

A farmacêutica britânica AstraZeneca anunciou, nesta segunda-feira 31, que deu início aos testes da última e terceira fase clínica de sua vacina candidata contra o coronavírus nos Estados Unidos.

AZD 1222 se torna a terceira vacina a entrar em testes em larga escala no país, depois das candidatas da Moderna e Pfizer / BioNTech.

Para a testagem americana, a AstraZeneca informou através de um comunicado que "está recrutando até 30.000 adultos com 18 anos ou mais, de diversos grupos raciais, étnicos e geográficos que são saudáveis ou têm condições médicas estáveis, incluindo aqueles que vivem com HIV e quem correm maior risco de infecção pelo vírus SARS-CoV-2. ”

Os participantes receberão duas doses ativas ou de placebo, com intervalo de duas semanas.

Leia e assista também

Oxford e AstraZeneca: entenda tudo sobre a vacina em fase final de testes

Sinovac: conheça detalhes da vacina chinesa em parceria com Instituto Butantan

Por que tantos testes de vacina estão acontecendo no Brasil?

O ensaio clínico irá avaliar a segurança e eficácia em todos os participantes - um subconjunto de 3.000 participantes será avaliado para reações locais e sistêmicas e respostas imunológicas.

Atualmente, os ensaios clínicos da fase 3 do AZD1222 estão em andamento nos países de Reino Unido, Brasil e África do Sul. Os testes também estão sendo planejados para o Japão e a Rússia.

No total, a última fase de testes para AZD 1222 irá inscrever até 50.000 participantes em todo o mundo. Os resultados dos testes em estágio final são esperados ainda este ano.

O teste é financiado pela Autoridade de Desenvolvimento Avançado Biomédico, que é administrado pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos e pelo Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas.

(Texto traduzido. Clique aqui para ler o original em inglês)