Em cenário otimista, diretor do Butantan prevê vacinação em janeiro

Segundo Dimas Covas, plano é vacinar 9 mil voluntários até o fim de setembro e ter os resultados disponíveis na segunda quinzena de outubro

Da CNN
01 de setembro de 2020 às 13:14

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou à CNN, nesta terça-feira (1°) que o Brasil pode ser um dos primeiros países a iniciar a vacinação contra a Covid-19. Para ele, a previsão mais otimista é que a vacinação possa começar em janeiro. 

O instituto firmou uma parceria com o laboratório chinês Sinovac para testar a Coronavac, uma das potenciais vacinas contra a doença e já em terceira fase de testes no Brasil. A previsão, segundo ele, é vacinar 9 mil voluntários até o fim de setembro e ter os resultados disponíveis para análises a partir da segunda quinzena de outubro. 

Leia e assista também:

Butantan pretende vacinar 60 milhões de pessoas até metade de 2021
Butantan pede apoio a parlamentares a fim de obter recursos para vacina chinesa
Sinovac: conheça detalhes da vacina chinesa em parceria com Instituto Butantan

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, fala à CNN sobre o desenvolvimento
O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, fala à CNN sobre o desenvolvimento da potencial vacina contra Covid-19
Foto: CNN (1°.set.2020)

"Paralelamente a isso, já estamos trazendo essa vacina. Ela começa a chegar a partir de outubro. Até o final do ano já teremos 45 milhões de doses. Então, associando o registro da vacina com as doses disponíveis, a vacinação poderá iniciar, tudo dando certo, em janeiro do próximo ano", acrescentou.

Dimas Covas frisou que a aplicação não é feita pelo Butantan, mas pelo Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde. "É uma grande possibilidade e o Brasil pode ser um dos primeiros países do mundo a ter sua vacinação", concluiu.

(Edição: Leonardo Lellis)