Correspondente Médico: Quais as consequências do calor em excesso?

Neurocirurgião Fernando Gomes destaca a importância de manter o corpo hidratado

Da CNN
14 de setembro de 2020 às 10:57

Na edição desta segunda-feira (14) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes explicou as consequências do ar seco e do calor em excesso devido às altas temperaturas e quais os cuidados necessários para aproveitar o clima com responsabilidade.

Dias quentes marcam o fim do inverno no Brasil. São Paulo registrou recorde de calor neste fim de semana. A capital paulista teve a sua tarde mais quente do ano, com termômetros marcando 34,1ºC.

"Vivemos em um mundo que precisamos respirar. Quando o ar está muito seco, as mucosas do nosso corpo acabam trabalhando muito mais para umidificar todas as paredes para que então o ar seja palatável e algo fácil do organismo lidar. Quando isso ocorre, a tendência de nosso sistema imunológico funcionar bem, diminui. Aumentando as chances de infecções virais e de outros problemas", iniciou.

Leia também:
Correspondente Médico: Existe risco em medir a temperatura pela testa?
Por que os pernilongos ‘atacam’ no calor e outras dúvidas sobre os mosquitos

Correspondente Médico: Quais as consequências do calor em excesso?
Foto: Da CNN

Além da dificuldade de respirar, outros pontos ficam em desvantagens em períodos longos de calor em excesso. Além dos sintomas de garganta "'queimando" e nariz "ardendo", a desidratação, pressão baixa e choque térmico são algumas das reações do corpo humano diante do tempo seco e quente.

"Com a desidratação eu tenho uma facilidade de perder calor por conta da transpiração, que provoca uma baixa pressão arterial e pode levar até mesmo a um choque térmico, em pessoas que tentam resolver este problema entrando e saindo de ambientes gelados, por exemplo", explicou. 

Por outro lado, o médico também avaliou os lados positivos de um dia ensolarado. Segundo ele, a prática de atividade física é essencial para estimular o bom funcionamento do corpo humano.

"Um dia de sol é agradável porque há benefícios. Existe uma tendência da gente querer fazer atividade física antes das 10 horas da manhã e depois das 16 horas, estimulando a socialização e consequentemente gerando um melhor aproveitamento do dia. Além disso, é necessário se hidratar bastante neste período e buscar por umidade neste período", finaliza.

(Edição: André Rigue)