Gatos podem servir de modelo para estudos de vacinas contra Covid-19; entenda

Mesmo que não desenvolvam sintomas, gatos podem ser responsáveis pela transmissão do vírus para outros animais da mesma espécie, diz pesquisa

Leonardo Lopes*, da CNN, em São Paulo
30 de setembro de 2020 às 12:53 | Atualizado 30 de setembro de 2020 às 12:57
Estudo sugere que gastos podem servir de modelo para desenvolvimento de vacinas contra Covid-19
Foto: Freepik

Uma pesquisa realizada por cientistas da Universidade do Estado do Colorado, nos Estados Unidos, analisou como cães e gatos domésticos respondem à Covid-19.

Ao descrever como os animais desenvolvem sua resposta imune, os autores sugerem que os gatos podem servir de modelo para os estudos sobre vacinas contra o novo coronavírus.

O estudo foi revisado por outros especialistas e publicado no "Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS)", a publicação oficial da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos.

Os cientistas buscaram entender quão suscetíveis à infecção pelo novo coronavírus os animais domésticos são.

Eles registraram que, neste estudo, nenhuma das espécies desenvolveu sintomas comuns à Covid-19. O apontamento não pode ser generalizado para todos os animais, porque a amostra utilizada foi pequena. No total, sete gatos e três cães adultos foram avaliados na pesquisa.

Assista e leia também:

Bolsonaro sanciona lei que aumenta pena por maus-tratos a cães e gatos

Pesquisa identifica 5 tipos de donos de gatos; qual é você?

Estudo indica que ver vídeos de animais fofos faz bem para saúde

Transmissão para mesma espécie

Os resultados indicam que, mesmo que não desenvolvam os sintomas, os gatos podem ser responsáveis pela transmissão do vírus para outros animais da mesma espécie.

"Os gatos transmitiram o vírus oralmente a partir de um dia após terem sido infectados", afirmam os cientistas. 

O tempo de transmissão variou entre os gatos participantes, mas pode chegar até cerca de uma semana. Já os cães infectados não demonstraram serem capazes de transmitir o vírus em nenhum momento. 

"Não há, atualmente, nenhuma evidência de que gatos ou cães tenham papel significante na transmissão do vírus para humanos. Porém, é possível que o contrário aconteça", acrescentaram os autores.

A pesquisa documentou que tanto os gatos, quanto os cães, desenvolveram uma resposta imune ao vírus, e se recuperaram da doença.

Os gatos tiveram uma resposta tão robusta que, quando expostos novamente ao vírus, não foram reinfectados. Por isso, poderiam servir de modelo para a produção de vacinas contra a Covid-19, mesmo que os cientistas não saibam ao certo quanto tempo dura a imunidade dos animais.

"Estes estudos indicam que os gatos podem servir como um modelo animal adequado para estudar a infecção por SARS-CoV-2 e para promover o desenvolvimento de vacinas e terapêuticos para uso em animais e humanos", concluem os pesquisadores.


(*Sob supervisão de Julyanne Jucá)