Rússia registra segunda vacina contra a Covid-19

Doses foram desenvolvidas por instituto na Sibéria

Da CNN*
14 de outubro de 2020 às 11:29 | Atualizado 14 de outubro de 2020 às 12:30

Os órgãos reguladores russos registraram a criação de uma segunda vacina contra o novo coronavírus. A informação foi confirmada pelo presidente Vladimir Putin em uma reunião nesta quarta-feira (14). 

A Epivac Corona é desenvolvida pelo Instituto Vector, na Sibéria, um antigo laboratório de pesquisa de armas biológicas ultrassecretas da União Soviética. 

“Precisamos aumentar a produção da primeira e da segunda vacina”, disse Putin em comentários transmitidos pela TV estatal.

Leia também:

Quem vai receber a vacina contra a Covid-19 primeiro quando ela for aprovada?
A vacina da Rússia para a Covid-19 é confiável?
'Ainda não vimos os testes iniciais da vacina russa', diz brasileira da OMS
Por que tantos testes de vacina estão acontecendo no Brasil?

Laboratórios do mundo todo estão atrás da vacina contra a Coivd-19
Foto: Pixabay

O instituto já havia anunciado, no mês passado, que completou os primeiros testes em 100 voluntários do novo medicamento. Depois de um período de 23 dias de monitoramento em hospital, nenhum dos voluntários manifestaram efeitos colaterais graves.

Em agosto, a Rússia tornou-se o primeiro país a conceder aprovação regulatória para uma vacina contra a Covid-19, a "Sputnik V", antes que os testes em grande escala fossem concluídos. O que aumentou preocupação de alguns membros na comunidade científica global.

Cerca de 400 pacientes receberam essa injeção, de acordo com o Ministério da Saúde russo. A vacina, chamada de "Sputnik V" em homenagem ao primeiro satélite do mundo lançado pela União Soviética, ainda não está em circulação geral.

(Com informações da Reuters)