Sanofi e GSK prometem 200 milhões de doses de potencial vacina contra Covid-19

As empresas afirmam que vão distribuir as vacinas assim que forem aprovadas pelas agências reguladoras de saúde, em contribuição com a Covax

Henrique Andrade*, da CNN, em São Paulo
28 de outubro de 2020 às 10:48 | Atualizado 28 de outubro de 2020 às 11:06
Aplicação de vacina
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Nesta quarta-feira (28), a Sanofi e a GSK anunciaram que pretendem disponibilizar 200 milhões de doses de sua potencial vacina contra Covid-19 para países mais pobres. As empresas assinaram acordo com a Aliança Gavi, administradora da Covax, iniciativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) para distribuição mundial de imunização contra o novo coronavírus.

As empresas afirmam que vão distribuir as vacinas assim que forem aprovadas pelas agências reguladoras de saúde, "contribuindo com a ambição da Covax de garantir imunização para todos que precisam, independente de onde vivem". Até o momento, mais de 180 países, incluindo o Brasil, já assinaram compromisso com a iniciativa.

"Para enfrentar uma crise global de saúde dessa magnitude, são necessárias parcerias únicas. O compromisso que estamos anunciando com a COVAX pode nos ajudar a ter uma chance melhor de colocar a pandemia sob controle”, disse Thomas Triomphe, vice-presidente executivo da Sanofi.

Leia também:
Venezuela diz ter remédio que 'inibe 100%' Covid-19 e busca certificação na OMS
Reino Unido pode iniciar vacinação antes do Natal se imunizante for aprovado
47% dos brasileiros não vão tomar vacina de imediato, diz pesquisa
Vacina de Oxford tem boa resposta imunológica

A vacina desenvolvida pela Sanofi em parceria com a GSK iniciou os testes clínicos das fases 1 e 2 no início de setembro, com 440 voluntários. Os resultados desta etapa do estudo estão programados para divulgação em dezembro, permitindo o início da fase 3 no fim do ano.