OMS desaconselha uso do remdesivir para tratamento contra Covid-19


Por Jacqueline Howard, da CNN
20 de novembro de 2020 às 01:49 | Atualizado 20 de novembro de 2020 às 01:52
Médicos dos EUA pedem dados de remdesivir para orientar tratamento de Covid-19

Frasco de remdesivir

Foto: Ulrich Perrey/Reuters


A Organização Mundial da Saúde (OMS) atualizou suas orientações contínuas sobre os medicamentos contra Covid-19 para desaconselhar o uso do antiviral remdesivir para tratar pacientes hospitalizados, independentemente da gravidade da doença.

De acordo com a atualização, publicada na revista médica BMJ na quinta-feira, as evidências atuais não sugerem que o remdesivir afete o risco de morte por Covid-19 ou necessidade de ventilação mecânica, entre outros resultados importantes.

Leia também:
Remdesivir: saiba mais sobre remédio aprovado pelos EUA contra Covid-19

A nova atualização da OMS ocorre cerca de um mês depois que a empresa Gilead Sciences, fabricante do remdesivir, anunciou que a Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora dos EUA, aprovou o remdesivir para o tratamento da infecções pelo novo coronavírus. A droga se tornou o primeiro tratamento para coronavírus a receber a aprovação do FDA.

"O remdesivir pode ter recebido a aprovação do FDA, mas não a recomendação da OMS por causa das pesquisas mais recentes - que inicialmente mostraram algum benefício contra a Covid-19, mas à medida que mais dados se acumulam, isso parece estar mudando", disse o Dr. Amesh Adalja, acadêmico sênior do Johns Hopkins Center para Segurança Sanitária, que não estava envolvido nas orientações da OMS.

"Vimos pessoas perceberem que o benefício do remdesivir é marginal, na melhor das hipóteses - e o único benefício que tínhamos anunciado era talvez ajuda as pessoas a melhoras mais rapidamente. Mas a base de evidências para isso é fraca, não é rígida e acho que é isso o que estamos vendo refletido na orientação da OMS. Apenas mais avaliação dos dados que estão por aí ”, disse Adalja à CNN na quinta-feira.

“O fato de ser um antiviral que mostrou algum benefício em certos testes - mas não em todos eles - foi o suficiente para levar as pessoas a querer usá-lo porque não tínhamos outras opções, mas acho que (o medicamento) provavelmente será suplantado em breve”. Adalja disse, acrescentando que a indicação de medicamentos pode mudar com o tempo.

A OMS reuniu um painel internacional de 24 especialistas e quatro sobreviventes da Covid-19 para revisar os dados e fazer recomendações. A recomendação contra remdesivir foi baseada em dados de quatro ensaios clínicos randomizados, incluindo 7.333 pessoas hospitalizadas com Covid-19.

“O painel concluiu que a maioria dos pacientes não prefere o tratamento intravenoso com remdesivir devido às evidências de baixa certeza”, escreveram pesquisadores de várias instituições ao redor do mundo na diretriz atualizada da OMS.