Qual a possibilidade de ter Covid-19 duas vezes? Infectologista explica

Hospital das Clínicas de São Paulo acompanha pacientes que foram infectados duas vezes

Da CNN, em São Paulo
28 de novembro de 2020 às 16:41


 O Hospital das Clínicas (HC) de São Paulo, investiga possíveis casos de reinfecção por coronavírus, separando um ambulatório para acompanhar os pacientes. O infectologista e coordenador de doenças infecciosas do HC, Max Igor Banks, falou sobre os riscos à CNN neste sábado (28)

"Hoje esses casos são mais frequentes, tanto aqui quanto em outros lugares no mundo. A gente tem visto que a maior parte dos casos identificados no Brasil, 80%, 90%, são casos mais graves da segunda vez, o que vai um pouco contra o que se vê no mundo, onde os segundos casos são mais leves. Esse evento de reinfecção talvez seja muito mais frequente do que estamos medindo no momento", explica.

Leia também
Vacina de Oxford pode fazer mais pelo mundo do que as outras; entenda a razão
Governo federal pode ter de jogar fora 6,8 milhões de testes perto da validade

O infectologista Max Igor Banks (28.nov.2020)
Foto: Reprodução/CNN

"Apesar disso, você não vê pessoas ficarem muito doentes, apesar de alguns reinfectados terem sido internados e precisado de oxigênio. As pessoas que acham que, por terem pego não transmitem mais, podem estar enganadas. E algumas delas podem ficar doentes de novo, até de forma mais intensa", alerta o infectologista.

"A gente tem uma hipótese, uma ideia, que talvez a segunda infecção tenha a ver com quantidade de vírus. Na primeira vez você tem um contato com menos vírus, não faz uma proteção boa, e na segunda vez tem contato com uma quantidade grande de vírus. Uma característica desses casos é que prioritariamente são profissionais de saúde, que estão mais expostos e podem se infectar novamente".

(Publicado por Amauri Arrais)