Vacinação em SP pode começar antes de 25 de janeiro, diz Gabbardo

Resultados da fase 3 dos testes clínicos da Coronavac serão entregues à Anvisa no dia 23 de dezembro

da CNN, em São Paulo
17 de dezembro de 2020 às 17:25


Em entrevista à CNN nesta quinta-feira (17), João Gabbardo, coordenador do Centro de Contingência de Covid-19 de São Paulo, afirmou que a vacinação contra o novo coronavírus com a Coronavac – produzida pelo Instituto Butantan e o laboratório chinês Sinovac – no estado pode ter início antes mesmo do dia 25 de janeiro de 2021, como havia sido previsto pelo governo. 

“O que nós não queremos é atrasar o cronograma. Nós tínhamos planejado o dia 25 de janeiro porque, com a decisão de encaminhar os resultados da fase 3 de forma definitiva no dia 23 de dezembro, imaginávamos que a Anvisa teria 30 dias para fazer a análise do pedido de registro. Só que nós vamos apresentar nas três possibilidades possíveis”, explicou.

Segundo ele, no dia 23 de janeiro, quando a documentação dos resultados da fase 3 dos testes clínicos for entregue à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), três caminhos vão poder ser seguidos.

Assista e leia também:

'Sou a favor do uso emergencial', diz Pazuello sobre vacina contra Covid-19

SP permitirá aulas presenciais mesmo com piora de índices da Covid-19

Daniela Lima: Coronavac pode ser principal ativo do Plano Nacional de Imunização

João Gabbardo, coordenador do Centro de Contingência de Covid-19 de São Paulo
João Gabbardo, coordenador do Centro de Contingência de Covid-19 de São Paulo
Foto: CNN (17.nov.2020)


“Vamos pedir o registro de forma definitiva e para uso emergencial – que não é a melhor alternativa. A terceira possibilidade é que a China está aguardando os resultados da fase 3, que está sendo feita no Brasil, para fazer também a solicitação do registro no país. Tendo o registro na China, temos a possibilidade de usar o prazo de 72 horas que a Anvisa tem para analisar, que é quando o produto já tem registro nos Estados Unidos, Europa, Japão ou China”, disse. 

Por conta disso, Gabbardo se diz confiante de que no dia 25 de janeiro do próximo ano o estado terá condições de iniciar a imunização contra a Covid-19.

“E podemos ter a possibilidade, dependendo da Anvisa, de encurtar esse prazo. Vacina tem, e não teria nenhum problema para o Butantan e nem para a Secretaria de Saúde iniciar a vacinação antes do dia 25.”

Caso o Ministério da Saúde peça que as doses da Coronavac sejam exclusivas do governo federal, o coordenador afirmou que o acordo será cumprido.

No entanto, isso só ocorrerá, disse ele, depois que o contrato for assinado e com a garantia de que a imunização comece antes ou no dia 25 de janeiro.  

 

(Publicado por Sinara Peixoto)