Garcia: Vamos esperar que mexicanos e argentinos mostrem resultado da vacina

Alexandre Garcia comenta no quadro Liberdade de Opinião se o Brasil está atrasado em comparação com os outros países sobre a vacinação

da CNN, em São Paulo
24 de dezembro de 2020 às 10:42 | Atualizado 24 de dezembro de 2020 às 10:42


O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, deu três previsões para que a vacinação contra o novo coronavírus no país seja executada. "Teremos a vacina com três possibilidade de data. Num prazo acelerado, até o dia 20 de janeiro, para iniciar. Num prazo médio, de 20 de janeiro e 10 de fevereiro. E num prazo alongado, de 10 de fevereiro a 1º de março", falou.

Enquanto isso, México, Chile e Argentina estão entre as nações que podem começar a vacinar contra a Covid-19 na América Latina.

No quadro Liberdade de Opinião desta quinta-feira (24), o jornalista Alexandre Garcia falou sobre o processo de produção das vacinas contra a doença e o planejamento para o início da aplicação do imunizante na população.

Assista e leia também:
Retrospectiva: 2020 não foi só tragédia – relembre as boas notícias do ano
Brasileiros se adaptam para Natal na pandemia; veja como se proteger
Alexandre Garcia: propaganda do governo chama de popular, oposição de populista

Alexandre Garcia no quadro Liberdade de Opinião
Foto: CNN (24.dez.2020)


“A vacina teve oito meses de desenvolvimento. Nunca se viu essa pressa, tudo bem, é um mundo moderno. Acho que março é ainda muita pressa. A gente não sabe os resultados. Vamos esperar, então, que os mexicanos, argentinos, chilenos nos mostrem os resultados”, afirmou.

“A gente está com pressa, óbvio, está cheio de gente com medo, e o medo diminui a imunidade. Então, acho que é esperar para a vacina e se preparar para combater esse vírus, dando paulada nele, se ele aparecer na gente.”

O Liberdade de Opinião tem a participação de Sidney Rezende e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

(Publicado por: André Rigue)