Vacina da Moderna pode causar reação em pessoas com botox e preenchimento labial

A inflamação foi apontada pelos cientistas como algo esperado e sem consequências graves

Raphael Coraccini, em colaboração para a CNN
30 de dezembro de 2020 às 13:18 | Atualizado 30 de dezembro de 2020 às 13:20
Vacina contra Covid-19 da Moderna
Vacina contra Covid-19 da Moderna
Foto: Adriana Toffetti/A7 Press/Estadão Conteúdo (15.dez.2020)

Um relatório da Food and Drug Administration (FDA), agência do governo americano que produz testes clínicos sobre a eficácia das vacinas contra o novo coronavírus, apontou que dois pacientes que receberam as doses da Moderna apresentaram edemas faciais relacionados a procedimentos estéticos recentes na pele.

O estudo, realizado com 120 pessoas com mais de 18 anos – que receberam as duas doses da vacina Moderna, aponta que os dois casos que apresentam reações adversas são de pessoas na faixa dos 40 e 50 anos, que passaram há pouco tempo por processos de preenchimento dermatológico.

Os edemas faciais apareceram entre um e dois dias após a segunda dose da vacina.

Assista e leia também

Após meses de isolamento, casal sai para cortar cabelo e morre de Covid-19

Reino Unido aprova vacina de Oxford, que será aplicada com intervalo de 3 meses

A inflamação foi apontada pelos cientistas como algo esperado e sem consequências graves. A reação adversa é uma resposta natural do sistema imunológico para reagir a algo que é estranho ao corpo, como as substâncias de preenchimento.

O sistema imune, instigado pela vacina, entende como agressoras as enzimas do Botox e outras substâncias que tenham sido aplicadas recentemente e ainda não dissolveram.

A Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos (ASPS, na sigla em inglês) apontou que os procedimentos estéticos cresceram 64% durante a pandemia.

Isso foi relacionado, pela associação, ao advento das reuniões online, que colocam as pessoas de frente consigo mesmas nas telas dos computadores.

Os especialistas dizem que os efeitos colaterais identificados nesses casos não foram severos e que isso não deve impedir que as pessoas que passaram por procedimentos desse tipo sejam vacinadas contra o coronavírus.

A indicação é procurar o médico responsável para avaliar o que se pode fazer para evitar reações adversas diante da necessidade de se vacinar.