Ao menos 62 políticos morreram por causa da Covid-19 no Brasil


Giovanna Bronze, da CNN, em São Paulo
13 de janeiro de 2021 às 16:07
Maguito Vilela (MDB), candidato à prefeitura de Goiânia
Maguito Vilela (MDB), eleito prefeito de Goiânia, morreu nesta quarta-feira (13)
Foto: Reprodução / Maguito Vilela via Instagram


Ao menos 62 políticos morreram em decorrência da pandemia do novo coronavírus no Brasil, de acordo com um levantamento da CNN

Desse total, 25 políticos que morreram ocupavam a posição de prefeito. Entre eles, estava Maguito Vilela, prefeito licenciado de Goiânia. Ele estava internado desde outubro em estado grave e morreu devido às complicações da doença nesta quarta-feira (13). 

Morreram também dois vice-prefeitos: João Gilberto Ripposati, de Uberaba (MG); e José Francisco de Aguiar, de Jacinto Machado (SC), além de 11 ex-prefeitos.

Entre os mortos está o ex-governador da Paraíba Wilson Braga. Ele morreu em 17 de maio de 2020, e sua esposa, Lúcia Braga, também morreu em decorrência da doença.

O senador Arolde de Oliveira (PSD-RJ) também foi um dos mortos pela Covid-19. Ele morreu em 21 de outubro, aos 83 anos.

Já entre os deputados está Nelson Meurer, ex-deputado e primeiro político condenado na Operação Lava Jato. Também morreram devido à doença Gil Vianna (PSL-RJ), Caio Nárcio (PSDB-MG) e Sálvio Dino, pai de Flávio Dino, governador do Maranhão, entre outros.

Em relação aos vereadores, 10 já morreram, incluindo nomes como Jair Marcelino (PSD), de Curitiba; Jaspe Bastos de Oliveira, ex-presidente da Câmara dos vereadores de Praia Grande (SP), e Salvador Philomeno Poli, de Itupeva (SP). 

Já entre os pré-candidatos e candidatos às eleições municipais de 2020 que morreram durante ou poucos dias antes da corrida eleitoral estão Edileusa Lóz, candidata a vice-prefeita de Boa Vista; Ricardo Nunes Batista, pré-candidato à prefeitura de Palmas, e Kadu Castro, pré-candidato a prefeito de Coaraci (BA).