Como ajudar cães e gatos ansiosos quando humanos voltam ao trabalho


Lori M. Teller, da Universidade Texas A&M
13 de janeiro de 2021 às 16:22

NOTA DO EDITOR: As opiniões expressas neste artigo são exclusivamente da responsabilidade do autor. A CNN publica aqui um texto do site “The Conversation”, uma colaboração entre jornalistas e acadêmicos para fornecer análises e comentários de notícias. O conteúdo é produzido exclusivamente pelo “The Conversation”.

Cachorro
Cachorro em casa
Foto: StockSnap/Pixabay

Quando um de meus colegas de trabalho descobriu que um pequeno gatinho órfão precisava de um lar, meses atrás, ele não hesitou em adotá-lo. Ele conta que seu novo companheiro ajudou a tornar os meses de isolamento da Covid-19 em casa muito menos estressantes.

Não é um caso único. Os abrigos e criadores de animais de estimação em todos os EUA relataram um número recorde de adoções de cães e gatos nos últimos meses.

Mas, depois que meu colega voltou ao trabalho, ele disse que seu amado gatinho começou a urinar no balcão da cozinha enquanto ele estava fora.

Outra amiga está preocupada com a reação do cachorro quando ela voltar ao escritório. Seu labrador grande e atrapalhado a segue por toda parte, até mesmo dentro do banheiro. Quando ela sai para fazer um serviço rápido, o cachorro se senta na porta dos fundos e geme, aguardando seu retorno.

O que esses donos de animais devem fazer?

As mudanças repentinas na rotina

Uma mudança na rotina, como ficar repentinamente sozinho por muitas horas todos os dias, é uma das principais causas da ansiedade de separação para cães e gatos.

A ansiedade da separação é mais do que uma pequena choradeira quando você sai pela porta. É um comportamento grave e indesejado que acontece toda vez que você sai ou está ausente.

Para cães e gatos, isso pode significar andar sem parar, latir muito ou uivar, choramingar ou ficar se lambendo enquanto você se prepara para sair. Em alguns casos, os pets podem urinar ou defecar pela casa, geralmente em lugares onde os odores permanecem, como roupas de cama ou tapetes, ou destruir utensílios domésticos na sua ausência. Extremo apego ou carência é outro sintoma.

A ansiedade da separação não vai embora por si mesma e pode ser difícil se livrar dela por completo. Mas existem maneiras de gerenciar isso. Como veterinária clínica e professora, muitas vezes sou solicitada a ajudar as pessoas a encontrar maneiras de aliviar a ansiedade de seus animais de estimação.

O que não fazer

Primeiro, é importante entender que o centro da questão não é você: é o seu animal de estimação. Seu cão ou gato não está tentando lhe ensinar uma lição ou se vingar. Os animais não agem por despeito.

Em vez disso, é um sinal de extrema angústia e frustração que deve ser abordado como qualquer outra situação médica. Seu animal de estimação não deseja sentir ansiedade de separação mais do que você deseja sentir suas consequências.

Por isso, o castigo nunca é a resposta. Por um lado, seu animal de estimação não vai conectar a punição com algo que aconteceu horas (ou mesmo alguns minutos) antes. Além disso, a punição pode apenas exacerbar a ansiedade e o estresse de seu animal de estimação.

Gato
Foto: Reprodução/ Pixabay

Da mesma forma, ir ao extremo oposto elogiando ou dando carinho quando seu animal está sofrendo de ansiedade também piorará o problema.

O objetivo é criar um relacionamento equilibrado para que seu animal de estimação tolere ficar sozinho. Primeiro, leve-o a um veterinário para descartar problemas físicos, como infecção do trato urinário, caso ele urine em locais inadequados.

Em seguida, certifique-se de que seu animal de estimação faça bastante exercício e estimulação mental. Para os cães, isso pode significar tanto uma longa corrida como caminhada rápida todos os dias. Fazer exercícios um pouco antes de sair de casa pode deixar seu cão mais relaxado enquanto você está fora. É mais difícil se sentir estressado quando os níveis de endorfina estão elevados. Para os gatos, isso pode significar uma mudança de ambiente por estar ao ar livre em uma área segura e fechada, como um “gátio”, um pátio para gatos.

Mudança de comportamento

A questão aqui é comportamento. O objetivo é fazer com que sua ausência não pareça grande coisa. Fazer um drama com seu animal de estimação quando você sai ou chega em casa só piora as coisas. Se você tratar a situação como se fosse rotina, seu animal de estimação aprenderá a fazer o mesmo.

Tente descobrir quando seu animal de estimação começa a mostrar sinais de ansiedade e transforme isso em uma atividade discreta. Se for no momento em que você pega sua bolsa para sair, por exemplo, tente pegá-la e colocá-la de volta na mesa várias vezes durante algumas horas. Da mesma forma, vista-se ou calce os sapatos mais cedo do que o normal, mas fique em casa em vez de sair imediatamente. Experimente ligar o motor do seu carro, desligá-lo e voltar para dentro.

Em seguida, pratique ausências curtas. Quando estiver em casa, faça questão de passar algum tempo em outro cômodo. Além disso, saia de casa tempo suficiente para fazer uma ou duas tarefas e, em seguida, aumente gradualmente o tempo em que fica fora, de modo que passar um dia inteiro fora se torne a rotina da família.

Mudando o ambiente

O tédio piora a ansiedade da separação. Oferecer uma atividade para o seu animal de estimação enquanto você estiver fora, como um quebra-cabeça cheio de guloseimas, ou simplesmente esconder petiscos pela casa tornará sua ausência menos estressante. Outras opções para cães e gatos incluem coleiras e dispositivos plug-in que liberam feromônios calmantes.

Para manter o vínculo enquanto você estiver fora, coloque uma peça de roupa que você usou recentemente em um lugar de destaque, como na cama ou no sofá, para confortar seu animal de estimação. Da mesma forma, você pode deixar a TV ou o rádio ligados (existem até programas especiais apenas para animais de estimação) ou configurar uma câmera para observar e interagir com seu animal de estimação remotamente. Alguns deles vêm equipados com um apontador laser ou guloseimas que você pode oferecer remotamente.

Usando suplementos ou medicamentos

Em alguns casos graves, quando o animal se machuca ou causa danos à propriedade, medicamentos ou suplementos podem ser necessários. Eles alteram os neurotransmissores do cérebro para gerar uma sensação de calma.

Embora alguns estejam prontamente disponíveis sem receita, é uma boa ideia pedir conselho ao seu veterinário para determinar quais são os mais seguros e eficazes para a situação do seu animal. A medicação pode ajudar a reduzir a ansiedade, tornando mais fácil para o animal aprender novas habilidades de enfrentamento. Um plano de modificação de comportamento que acompanha o uso da medicação pode ajudar a controlar esse problema.

A ansiedade da separação é difícil para você e seu animal de estimação. Mas algumas mudanças simples podem fazer uma grande diferença à medida que a vida volta a ter uma aparência normal.

Lori M. Teller é professor associado clínico de telessaúde veterinária na Faculdade de Medicina Veterinária Texas A&M.

Republicado sob uma licença Creative Commons do The Conversation

(Texto traduzido, leia o original em inglês)