Prefeitos pedem a Pazuello campanha ‘eficiente’ que ‘incentive’ vacinação

Os prefeitos fizeram um apelo para que o governo use a publicidade para “destacar os benefícios das vacinas”

Thais Arbex
Por Thais Arbex, CNN  
14 de janeiro de 2021 às 21:59
Reunião Pazuello
Ministro Eduardo Pazuello se reúne com mais de 130 prefeitos para discutir vacinação contra a Covid-19
Foto: Divulgação/FNP

Em reunião com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, na manhã desta quinta-feira (14), a Frente Nacional de Prefeitos (FNP) pediu que o governo federal faça uma campanha publicitária “eficiente e abrangente” sobre a vacinação contra a Covid-19, para “informar, esclarecer e incentivar a população sobre a necessidade da vacinação”. 

Os prefeitos fizeram um apelo para que o governo use a publicidade para “destacar os benefícios das vacinas”, além de informar horários, locais de vacinação e os grupos que serão imunizados em cada uma das etapas. 

Parte dos chefes dos Executivos municipais defende, assim como o presidente Jair Bolsonaro, que a vacinação não deve ser obrigatória, mas a avaliação entre eles é a de que o governo federal tem, neste momento, a função de exercer o papel de convencer a população a se vacinar e também ressaltar a importância da imunização. 

O pedido dos prefeitos foi formalizado em um ofício entregue a Pazuello durante o encontro desta quinta. No documento a que a CNN teve acesso, a Frente Nacional dos Prefeitos cobra uma “coordenação efetiva” do governo federal no combate ao novo coronavírus. 

De acordo com a FNP,  “informações desencontradas” sobre o cronograma de vacinação e a disponibilização de insumos a estados e municípios “deixam transparecer a fragilidade da falta de coordenação federativa”. “E isso é tudo que não precisamos”, diz o texto. 

“A FNP tem convicção de que a atuação conjunta dos entes federativos é fundamental para a eficácia do Plano Nacional de Vacinação e que, portanto, é imprescindível a participação de estados e municípios no enfrentamento à Covid-19, de forma compartilhada e complementar, como é a premissa do Sistema Único de Saúde (SUS)”, afirmam os prefeitos no documento. 

De acordo com eles, como os municípios “estarão na linha de frente” da vacinação, “a necessidade de articulação e diálogo permanente com estados e União para resultados efetivos, no menor prazo possível”.

No ofício, a FNP também propõe a criação de uma comissão com o ministro da Saúde, o presidente da frente e outros cinco prefeitos, um de cada região do país, para monitorar o Plano Nacional de Vacinação. A proposta é que o grupo se reúna, periodicamente, a cada dez dias para avaliar a campanha em todo o país.