AM: vereador pediu usina de oxigênio hospitalar em Coari em abril de 2020

Na manhã desta terça-feira (19), por conta do colapso na saúde de todo o estado, sete pessoas morreram por falta de oxigênio na cidade

Por José Brito e Karla Chaves, da CNN, em Manaus
19 de janeiro de 2021 às 21:00
Equipamentos chegaram a Coari nesta semana
Equipamentos chegaram a Coari nesta semana
Foto: Secretaria Municipal de Saúde de Coari/Divulgação


Como medida para prevenir e enfrentar a Covid-19 no município de Coari, no Amazonas, em 28 de abril do ano passado, o então vereador Ademoque Filho (PSC) protocolou uma indicação na Câmara Municipal para a construção de uma usina de oxigênio hospitalar. A compra, porém, só foi feita no começo do mês e com previsão para funcionar apenas na semana que vem. 

Na manhã desta terça-feira (19), por conta do colapso na saúde de todo o estado, sete pessoas morreram por falta de oxigênio na cidade.

No documento ao qual a CNN teve acesso é ressaltada como justificativa ao prefeito a falta de estrutura e equipamentos importantes de oxigênio prontos ao atendimento da população infectada pelo novo coronavírus. 

"Consideramos que é atribuição do poder público promover esses direitos, através de medidas protetivas e de enfrentamento a essa pandemia.", consta. 

Hoje como ex-vereador e cidadão coariense, Ademoque garante que com pouco investimento poderiam ter sido evitadas essas mortes, mas que uma questão política não permitiu o tema ser prioridade.

"Era R$ 300 a R$ 350 mil de investimento para a quantidade de leitos que o município tem. Como eu já era de oposição ao prefeito da época, eu creio que isso influenciou. Por mero capricho vidas foram perdidas", disse. 

A secretária municipal de saúde de Coari, Francinalva Rodrigues, contesta a versão e diz que, na verdade, em abril, a usina já estava nos planos da Prefeitura, mas a alta de casos de infectados e uma demanda por testes de Covid-19 foram prioridade.

"Eu fiz as tratativas, as cotações, eu fiz tudo. Na época, aumentamos a capacidade com cilindros de oxigênio que era o mais rápido a fazer. E, posteriormente, continuamos. A compra da usina foi feita há 10 dias e com previsão para funcionar na segunda-feira da semana que vem (25)", explicou.

Usina deve começar a funcionar na próxima semana, segundo a prefeitura
Usina deve começar a funcionar na próxima semana, segundo a prefeitura
Foto: Secretaria Municipal de Saúde de Coari/Divulgação

A situação política de Coari

No dia 18 de dezembro do ano passado, o TRE-AM (Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas) cassou o registro de candidatura do prefeito reeleito, Adail Filho, por entender que um mesmo núcleo familiar exerceria mais de dois mandados consecutivos. 

O pai dele, Adail Pinheiro, se elegeu para o mesmo cargo em 2012, mas foi cassado pela Justiça amazonense dois anos depois. O filho foi eleito pela primeira vez em 2016.

Enquanto as eleições suplementares para o cargo no Poder Executivo municipal não são definidas, a tia de Adail Filho e cunhada de Adail Pinheiro, Dulce Menezes (MDB), como presidente da Câmara Municipal, segue como prefeita interina. 

O prefeito cassado não foi localizado pela reportagem.