Vacina da Pfizer pode evitar transmissão da Covid-19, diz estudo israelense

Níveis de anticorpos dos indivíduos não só aumentaram de 6 a 20 vezes, mas também foram maiores do que os pacientes que já se recuperaram da doença

Da CNN
20 de janeiro de 2021 às 15:48 | Atualizado 20 de janeiro de 2021 às 15:52
Estudo analisou a vacina contra Covid-19 da Pfizer/BioNTech
Foto: Charles Platiau/Reuters (30.dez.2020)


Resultados iniciais de um estudo sorológico do Sheba Medical Center, localizado em Israel, mostram que, uma semana após receber a segunda dose da vacina Pfizer-BioNTech contra a Covid-19, os níveis de anticorpos dos indivíduos não só aumentaram de 6 a 20 vezes, mas também foram maiores do que os pacientes que já se recuperaram da doença. 

“Isso significa que a vacina funciona maravilhosamente”, disse o professor Gili Regev-Yohai, diretor da Unidade de Prevenção e Controle de Infecções do Centro Médico Sheba e chefe do estudo.

“Os resultados do estudo são consistentes com a pesquisa da Pfizer, e até superou as expectativas ... Certamente há motivos para otimismo”, complementou.

De acordo com Regev-Yohai, as descobertas sugerem que os indivíduos que receberem ambas as doses da vacina não só ficarão protegidos da infecção por Covid-19, mas também evitarão se tornar portadores do vírus e, assim, podem ajudar a prevenir a propagação da doença.

O estudo conduzido em Sheba consistiu em 102 indivíduos que receberam duas doses da vacina Pfizer-BioNTech contra a Covid-19, das quais 100 apresentaram um aumento significativo nos níveis de anticorpos do patógeno no sangue. Dos dois indivíduos restantes, um era conhecido por ser imunocomprometido.

Israel lidera o mundo em inoculações per capita, tendo ultrapassado a marca de 2 milhões no fim de semana, incluindo mais de 400 mil que já receberam a segunda dose.