Bolsonaro: 5,4 mil litros de insumo da Coronavac serão enviados ao Brasil

Segundo Bolsonaro, o material já está em área aeroportuária "para pronto envio ao Brasil". Ele escreveu que os insumos chegarão ao Brasil nos próximos dias

André Jankavski da CNN, em São Paulo
25 de janeiro de 2021 às 16:23 | Atualizado 26 de janeiro de 2021 às 17:08

 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), por meio de uma postagem em seu perfil do Facebook, afirmou nesta segunda-feira (25) que foi informado pela embaixada chinesa de que 5,4 mil litros de insumos para a vacina Coronavac serão enviados em breve.

Segundo Bolsonaro, o material já está em área aeroportuária "para pronto envio ao Brasil". Ele escreveu que os insumos chegarão ao Brasil nos próximos dias.

De acordo com o Instituto Butantan, os 5,4 mil litros de insumo são suficientes para produzir 8,5 milhões de doses da Coronavac.

Bolsonaro Xi Jiping
Foto: Facebook/Divulgação

O presidente também afirmou que os insumos para a vacina da AstraZeneca, com a Universidade Oxford, estão sendo liberados de maneira acelerada.

Bolsonaro agradeceu a "sensibilidade do governo chinês", além do empenho dos ministros Ernesto Araújo, das Relações Exteriores, Eduardo Pazuello, da Sáude, e Tereza Cristina, da Agricultura.  

Na mensagem, ele ainda colocou uma foto com o presidente da China, Xi Jinping, tirada em outubro de 2019, em visita de Bolsonaro a Pequim.

Governo de São Paulo contesta

Em um comunicado divulgado na tarde desta segunda (25), o governo de São Paulo contestou que o envio de insumos chineses tenha tido a participação do governo federal. "Todo o processo de negociação com o governo chinês para a liberação de 5.400 litros de insumo para a vacina do Butantan foi realizado pelo Instituto e pelo Governo de São Paulo, que vem negociando com os chineses a importação de vacinas e insumos desde maio do ano passado", afirma o texto.

No entanto, a CNN teve acesso a uma carta do embaixador da China no Brasil confirmando a exportação dos insumos.