Medidas da fase vermelha em SP são ineficazes para reduzir casos, avalia médico

Domingos Alves, que é professor de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), falou à CNN sobre as ações do estado para conter os números da pandemia

Da CNN, em São Paulo
25 de janeiro de 2021 às 15:15 | Atualizado 03 de março de 2021 às 11:49


Professor de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e criador do portal Covid-19 Brasil, Domingos Alves afirmou à CNN que as medidas da fase vermelha do Plano São Paulo para a reabertura da economia são ineficientes para conter os números da pandemia no estado.

Nesta segunda-feira (25), entraram em vigor as novas restrições anunciadas na semana passada pelo governador João Doria. Sete regiões foram reclassificadas na fase vermelha, enquanto as demais, inclusive a região da Grande São Paulo, estão na fase laranja.

"[São medidas] paliativas. Afinal de contas, não foi combinado com o vírus que ele deixa de infectar até às 20h", disse Alves em entrevista à CNN. "Essas medidas em conjunto não vão ter efeito eficaz para conter o que está acontecendo hoje no estado de São Paulo: uma exacerbação do número de pessoas internadas em várias cidades."

Para o médico, sem a adoção de medidas mais rigorosas, como um lockdown no estado, a economia continuará sendo duramente afetada. 

"A questão é que com o vírus circulando, mais pessoas vão ficando infectadas e, com isso, cada vez mais vai prejudicar a economia."

"Existem duas medidas efetivas que já são evidências para controlar o vírus: ou se exacerba o número de testes das pessoas, tentando localizar inclusive os assintomáticos e isolando quem tem teste positivo; ou se adota medidas restritivas do tipo lockdown", apontou Alves.

Aglomeração na 25 de março, em São Paulo, durante a pandemia da Covid-19
Aglomeração na região da 25 de março, em São Paulo, durante a pandemia da Covid-19
Foto: Cris Faga/Estadão Conteúdo (14.dez.2020)