Ambulantes de Brasília pedem à Justiça para comprar vacinas contra Covid-19

A categoria estima que seja necessária a compra de cerca de 1,2 milhão de doses para atender os 200 mil ambulantes do Distrito Federal e seus familiares

Basília Rodrigues
Por Basília Rodrigues, CNN  
29 de janeiro de 2021 às 14:59 | Atualizado 29 de janeiro de 2021 às 15:41
Ambulantes tentam na Justiça obter o direito de comprar vacinas contra a Covid-19
Foto: Lucas Lacaz Ruiz/Estadão Conteúdo (27.2021)


Depois de governadores e empresas privadas, categorias de trabalhadores tentam correr por fora para conseguir comprar vacina contra o novo coronavírus.

Em Brasília, o movimento começou por ambulantes - vendedores de rua e feiras.

O Sindicato do Comércio de Vendedores Ambulantes do Distrito Federal entrou na Justiça para obter o direito de comprar vacinas já autorizadas pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). A ação está no Tribunal Regional da Primeira Região (TRF-1).

A categoria estima que seja necessária a compra de cerca de 1,2 milhão de doses para atender os 200 mil ambulantes do Distrito Federal e seus familiares. 

O advogado João Paulo Todde argumenta que a categoria se expõe demais. “Serão pessoas a menos nas filas do SUS, nos hospitais públicos e que poderão trabalhar protegidas pelo imunizante”, defendeu Todde, apesar de a medida de isolamento social ainda estar valendo.

“Na verdade, ao invés de furar a fila, a iniciativa vai fazer a fila da vacinação andar mais rápido, porque a falta de agilidade e eficiência do setor público em providenciar vacinas para todos é notória", argumenta.