Fiocruz envia amostras de variantes da Covid encontradas no AM e no RJ a Oxford

Os cientistas ingleses, a partir de agora, irão investigar se o imunizante já desenvolvido pela instituição é eficiente contra as novas cepas encontradas

Lucas Janone, da CNN, no Rio de Janeiro
02 de fevereiro de 2021 às 15:29 | Atualizado 02 de fevereiro de 2021 às 21:15

 

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) enviou amostras das variantes do novo coronavírus encontradas em Manaus e no Rio de Janeiro para análise de pesquisadores da Universidade de Oxford, na Inglaterra. 

Os cientistas ingleses, a partir de agora, irão investigar se o imunizante já desenvolvido pela instituição é eficiente contra as novas cepas encontradas no Brasil.

Marco Krieger, vice-presidente de produção e inovação em saúde da Fiocruz, confirmou o envio das amostras e disse que os pesquisadores estão "avaliando a resposta à vacina frente à mutação". 

Krieger ressaltou ainda que é importante confirmar a resposta imunológica da vacina, desenvolvida pela Universidade de Oxford, quando entra em contato com as mutações do novo coronavírus

A variante da Covid-19 no Amazonas foi a primeira mutação da doença encontrada no Brasil e é apontada como um dos fatores para um grande crescimento no número de casos no estado, principalmente na capital, Manaus, em janeiro. 

A nova linhagem encontrada no Amazonas já foi identificada em diversos estados brasileiros, como em São Paulo, e em outros países, quando foi encontrada no Japão.