'Falta de cidadania', diz secretário de saúde do Rio sobre 'turismo' de vacinas 

Crítica se refere ao fato de profissionais de saúde da região metropolitana do Rio estarem indo para cidade de São Gonçalo para tomar a primeira dose da vacina

Leandro Resende
Por Leandro Resende, CNN  
05 de fevereiro de 2021 às 14:56

O secretário estadual de saúde do Rio de Janeiro, Carlos Alberto Chaves, afirmou à CNN que é exemplo de “falta de cidadania” o fato de profissionais de saúde de municípios da região metropolitana do Rio, como a capital, estarem indo para cidade de São Gonçalo para tomar a primeira dose da vacina contra a Covid-19, numa espécie de “turismo de vacina”.

“As pessoas têm que tomar vacina na sua cidade. Se não, vai para outra, e vai faltar dose para quem é do município. São pessoas que só pensam em si, e não no próximo”, disse à CNN. 

São Gonçalo, segunda cidade mais populosa do Rio de Janeiro, tem registrado fluxo grande de profissionais de saúde à procura de vacinas contra a Covid-19. O município abriu o plano de imunização para profissionais da Saúde como psicólogos, fisioterapeutas, veterinários, e profissionais de educação física, sem limitação de idade ou de endereço.

Isso provocou a formação de grandes filas em postos de vacinação e a frustração em idosos que foram aos locais e não conseguiram se vacinar contra a Covid-19. 

“Esse tipo de conduta, de sair de uma cidade e ir para outra procurando vacina, quebra todo e qualquer programa de imunização”, lamentou o secretário Carlos Alberto Chaves. A prefeitura de São Gonçalo se reúne na tarde desta sexta-feira (05) para traçar um plano e conter o  “turismo de vacina”. Não estão descartadas mudanças no plano de imunização da cidade.

Em nota, o município reconheceu o problema.  “É grande o número de profissionais da saúde de outras cidades que estão buscando os postos de São Gonçalo para se vacinar, aumentando excessivamente a demanda e provocando filas. O número de doses destinadas ao município é calculado para atender ao público-alvo residente em São Gonçalo”, diz o comunicado.