Governo promete 230 milhões de doses de vacina até julho

O cronograma, obtido pela CNN, foi apresentado em reunião nesta quarta-feira.

Iuri Pitta
Renata Agostini
17 de fevereiro de 2021 às 17:37 | Atualizado 17 de fevereiro de 2021 às 19:14

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, prometeu aos governadores que serão distribuídas cerca de 230 milhões de doses de vacina até o final de julho. Até dezembro, o governo projeta distribuir cerca de 315 milhões de doses de vacina em 2021. 

Esse número sobe para 455 milhões de doses quando o governo contabiliza lotes adicionais que ainda estão em tratativas com a o Instituto Butantan e com a Fiocruz. 

O cronograma, obtido pela CNN, foi apresentado em reunião nesta quarta-feira (17).  

Para alcançar as 230 milhões de doses até o final de julho, o governo está contando com 10 milhões de doses importavas da Índia da vacina de Oxford, produzida pela Astrazeneca. Isso porque o Ministério da Saúde só prevê o recebimento de produção desse imunizante pela Fiocruz a partir de março.   

O governo federal também considera no cálculo o uso de 10 milhões de doses da Sputinik V que serão importadas da Rússia e ainda 20 milhões de doses da Covaxin trazidas da Índia. Tanto a Sputinik V quanto a Covaxin ainda não foram aprovadas pela Anvisa. 

Até o fim do ano, o Ministério da Saúde incluiu ainda no cronograma a entrada da vacina da Moderna no Plano Nacional de Imunização. De acordo com a pasta, há tratativas para a compra de 30 milhões de doses, com previsão de entrega até 31 de outubro. Pazuello já fez críticas a esse imunizante, por causa do alto preço e do prazo de entrega, mas o ministério passou a incluir em suas previsões a aquisição desse produto. 

O montante de 455 milhões de doses em 2021, superior ao que era previsto no Plano Nacional de Imunização (PNI), ainda considera 42,5 milhões vindas pelo Covax Facility, das quais pouco mais de 10 milhões seriam a de Oxford/AstraZeneca.

Além disso, prevê outras 30 milhões de doses da Coronavac, além das 100 milhões já contratadas pelo Ministério da Saúde em dois acordos – o último, assinado na noite de segunda-feira (15). 

Os governadores pediram o encontro justamente para entender como ficaria o cronograma de distribuição de vacinas. Em diversas cidades, o estoque de doses está acabando.  

O ministro Eduardo Pazuello indicou aos governadores que, até sexta, o Ministério da Saúde deve encaminhar aos estados a previsão detalhada de quantas doses cada um deles irá receber até julho.