Infecções por Covid-19 recuam no mundo, mas OMS alerta para apatia

Queda nos casos poderia ser atribuída a lockdowns e restrições de circulação em vários países, de acordo com especialistas

Nick Macfie e Josephine Mason, da Reuters, em Londres
18 de fevereiro de 2021 às 15:31
Prédio da OMS
Prédio da Organização Mundial da Saúde (OMS) em Genebra (06.fev.2020)
Foto: REUTERS/Denis Balibouse

As infecções pelo novo coronavírus reportadas diariamente estão caindo em todo o mundo há um mês, e na terça-feira (16) atingiram seu menor nível desde meados de outubro, como mostram cifras da Reuters, mas especialistas de saúde alertaram para a apatia no momento em que vacinas estão sendo distribuídas em todo o planeta.

A queda de infecções e mortes coincide com lockdowns e restrições rigorosas a reuniões e à circulação enquanto governos pesam a necessidade de deter ondas sucessivas da pandemia com a necessidade de as pessoas voltarem ao trabalho e de as crianças voltarem à escola.

Mas o otimismo a respeito de uma saída da crise é temperado por novas variantes do vírus, o que provoca receios sobre a eficácia das vacinas.

"Agora não é hora de baixar a guarda", disse Maria Van Kerkhove, autoridade técnica da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a Covid-19, em uma entrevista coletiva em Genebra.

"Não podemos nos permitir chegar em uma situação na qual vemos os casos voltando a subir."

A Covid-19 afetou alguns países muito mais duramente do que outros, mas a diferença na maneira como as infecções são contadas localmente torna impossível fazer comparações perfeitas.

Na terça-feira foram reportadas 351.335 infecções novas em todo o mundo em uma média de sete dias, cifra inferior às 863.737 do dia 7 de janeiro. As mortes recuaram das 17.649 de 26 de janeiro para 10.957 em 16 de fevereiro.

As infecções pela Covid-19 estão diminuindo nos Estados Unidos, onde em média 77.883 infecções novas são relatadas a cada dia – 31% do pico, a média diária mais alta relatada em 8 de janeiro.

No Brasil, a pandemia apresenta tendência de estabilidade, mas a alta de casos provoca medo. Na quarta-feira (17), completaram-se 27 dias com a média móvel de mortes pela Covid-19 acima de mil.