Ministério Público abre procedimento para apurar falsas vacinações no Rio

"Fura-filas" da vacinação também estão na mira     

Stéfano Salles e Iuri Corsini, da CNN, no Rio de Janeiro  
19 de fevereiro de 2021 às 13:29
falsa vacinação rj
Foto: Reprodução

O Ministério Público do Rio de Janeiro instaurou procedimento administrativo para apurar as denúncias de falsa vacinação registradas recentemente no estado.

O MPRJ confirmou à CNN que também abriu inquérito civil conjunto com o Ministério Público Federal (MPF) para apurar os problemas na aplicação das vacinas em Petrópolis, cidade da Região Serrana onde a primeira denúncia desse tipo no estado foi confirmada. A vítima foi uma idosa de 94 anos.

Até o momento, há registros de quatro casos de profissionais de enfermagem que teriam simulado a aplicação da vacina contra a Covid-19.

Os episódios ocorreram em Petrópolis e Niterói e, na capital, em Copacabana e na Barra da Tijuca. As profissionais de saúde investigadas foram afastadas e os casos estão em apuração nas delegacias locais. 

Além da conduta dos profissionais de saúde, o Ministério Público afirmou que já recebeu mais de 500 queixas sobre supostas irregularidades em relação aos "fura-filas", que têm burlado (ou tentando burlar) a prioridade de vacinação contra a Covid-19 no estado do Rio. 

Todas essas queixas foram encaminhadas pelo Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa da Saúde (CAO Saúde/ MPRJ).

A partir dessas reclamações, o MP instaurou 26 Procedimentos Administrativos, quatro Inquéritos Civis, além de um Procedimento Investigatório Criminal e um Procedimento Preparatório. 

Dos 26 procedimentos, dois foram na capital, seis na Região Metropolitana, cinco em Cabo Frio, um em Cordeiro, nove em Itaperuna, um em Campos dos Goytacazes, e dois em Nova Friburgo.

Em relação aos Inquéritos Civis instaurados, dois foram em Belford Roxo, um em Teresópolis e um em Três Rios.

Já o Procedimento Investigatório Criminal foi aberto na cidade de Itaboraí.