Rio confirma morte do 2º paciente com variante de Manaus do novo coronavírus

Paciente havia sido transferido da capital do Amazonas

Cléber Rodrigues e Stéfano Salles, da CNN no Rio
19 de fevereiro de 2021 às 11:29
Ilustração em 3D representando o novo coronavírus
Ilustração em 3D representando o novo coronavírus
Foto: Nexu Science Communication/Reuters

 

Nesta sexta-feira a Prefeitura do Rio de Janeiro confirmou a segunda morte de um paciente com a nova cepa da Covid-19 no estado. O anúncio aconteceu durante a divulgação semanal do Boletim Epidemiológico do Comitê de Operações e Emergência (COE-Covid), na Cidade Nova. Era um homem de 46 anos, residente em Manaus, que estava internado no Hospital Federal dos Servidores do Estado, na Saúde, Região Central do Rio. 

O paciente foi transferido de Manaus para o Rio de Janeiro pelo Ministério da Saúde, por causa da saturação da rede de saúde amazonense, provocada pelo elevado número de casos registrados da nova variante. Ele morreu na noite de quinta-feira (18).  

O superintende municipal de vigilância em Saúde, Márcio Henrique Garcia, deu mais informações sobre o perfil do paciente; “Na investigação muito preliminar que nós fizemos, esse paciente que foi a óbito tinha hipertensão arterial sistêmica e obesidade. Provavelmente, isso está relacionado ao maior agravamento”, afirmou.

A primeira vítima fatal da nova variante do coronavírus no Rio de Janeiro aconteceu no dia 6 de fevereiro, era um homem de 55 anos, morador de Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Ele ficou seis dias internado no Instituto Evandro Cruz, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em Manguinhos, Zona Norte, e tinha cirrose hepática e cardiopatia crônica. O caso foi revelado na última terça-feira. 

 

Durante a apresentação do boletim, a Prefeitura do Rio citou ter ainda outros três casos confirmados da nova variante na cidade. Uma mulher de 36 anos, moradora da Freguesia, na Zona Oeste, um homem de 40 anos, morador de Laranjeiras, e outro de 30 anos, de Copacabana, dois bairros da Zona Sul. Segundo o município, os três apresentaram apenas síndrome gripal, um quadro leve.