Pfizer retoma negociação e propõe entregar ao Brasil 100 mi de doses em 2021

Além do aumento do quantitativo disponível, a Pfizer também entregou ao Ministério da Saúde um novo cronograma de entrega do imunizante

Kenzô Machida, da CNN, em Brasília
22 de fevereiro de 2021 às 17:42 | Atualizado 22 de fevereiro de 2021 às 19:47

 A Pfizer reiniciou as tratativas para vender imunizantes produzidos pela farmacêutica em parceria com BioNtech para o Brasil. De acordo com a apuração da CNN, no último ofício encaminhado ao Ministério da Saúde na semana passada, a farmacêutica aumentou o quantitativo de doses do imunizante disponível para o governo brasileiro, passando de 70 milhões para 100 milhões de doses entregues em 2021.

Além do aumento do quantitativo disponível, a Pfizer também entregou ao Ministério da Saúde um novo cronograma de entrega do imunizante, com promessa de trazer para o Brasil um primeiro lote de vacinas até o final de junho de 2021. 

Ainda de acordo com relatos feitos à CNN, a farmacêutica se comprometeria a entregar nesse primeiro momento quase 9 milhões de doses. 

O maior quantitativo ficaria para o segundo semestre, com a previsão de entrega de 35 milhões de doses até setembro e outras 60 milhões de doses até o final do ano, totalizando assim pouco mais de 100 milhões de doses em 2021.

A Pfizer ainda não fechou acordo com o Ministério da Saúde por causa da cláusula no contrato que diz respeito à responsabilização por eventuais efeitos colaterais da vacina. 

Nem o governo brasileiro e nem a farmacêutica querem assumir a responsabilidade de efeitos adversos com o imunizante - ambos já falaram oficialmente sobre os respectivos posicionamentos em relação a essa cláusula.