Não adianta crucificar escola e todo mundo continuar indo à praia, diz pediatra

Ana Escobar defende continuidade das aulas presenciais, tomando os cuidados necessários para evitar contaminação

Produzido por Renata Souza*, da CNN, em São Paulo
04 de março de 2021 às 17:23 | Atualizado 04 de março de 2021 às 17:57

A volta das aulas presenciais ainda não demonstrou influência no aumento de casos de Covid-19, explica a pediatra Ana Escobar, em entrevista à CNN na tarde desta quinta-feira (4). Ela afirma que é possível manter os alunos frequentando as salas de aula, desde que os cuidados sejam rigorosamente seguidos.

"Até o momento, não tem indício nenhum de que a abertura das escolas contribuiu para o aumento de casos. No Reino Unido, que também tem uma variante bem mais transmissível , as escolas ficaram abertas e e não houve registro de aumentos. As escolas devem continuar abertas e a sociedade tem que cobrar a execução das medidas de proteção de maneira intensa", disse.

A pediatra Ana Escobar (04.mar.2021)
A pediatra Ana Escobar (04.mar.2021)
Foto: Reprodução/CNN

Os pais e professores precisam fazer sua parte, evitando aglomerações, ressalta. "Não adianta nada a escola fazer esse papel se nos finais de semana os pais levam as crianças para a praia, para passear e os professores vão para a balada. Não adianta crucificar a escola e todo mundo continuar indo para a praia e para a balada e sem usar a máscara". 

A pediatra lembra que nessa época do ano é comum o número de internações pediátricas em geral aumentar por conta de doenças respiratórias e que é preciso analisar, desse percentual, quantas se devem à Covid-19. E que é necessário todos fazerem sua parte para diminuir a contaminação.

"O Brasil está na contramão do mundo. O mundo está conseguindo conter a pandemia com lockdown e vacinas. Nossa vacinação está a passo de tartaruga e estamos disseminando o vírus por falta do uso de máscaras e conscientização.

*Sob supervisão de Juliana Alves