A três dias de 'fase emergencial', SP registra recorde de mortes por Covid-19

Segundo o governo paulista, são 22.555 pacientes internados com Covid-19 em São Paulo, a maior marca da pandemia

Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo
12 de março de 2021 às 19:29 | Atualizado 15 de março de 2021 às 16:05

No último dia útil antes da implementação da chamada "fase emergencial", o governo de São Paulo registrou nesta sexta-feira (12) um recorde de mortes causadas pela Covid-19. Nas últimas 24 horas, foram confirmadas 521 mortes e 15.720 novos casos da doença.

O recorde anterior havia sido na terça-feira (9), com 517 mortes em um dia. Ao todo, o estado acumula 2.179.786 casos e 63.531 mortes. A taxa de ocupação de leitos de UTI é de 89,4% na Grande Sâo Paulo e 87,6% no Estado.

UTI do hospital do Mandaqui, em São Paulo, está repleta de pacientes com COVID-19
Foto: CNN

Segundo o governo paulista, são 22.555 pacientes internados com Covid-19 em São Paulo, a maior marca da pandemia, sendo quase 10 mil pessoas (9.777) em leitos de UTI.

Na próxima segunda-feira (15), entra em vigor a fase emergencial do Plano São Paulo, uma fase de restrições ainda mais rígidas que a fase vermelha, que já havia sido adotada diante do agravamento da pandemia. 

Entre outras coisas, a fase prevê toque de recolher entre 20h e 5h, proibição de funcionamento dos serviços não-essenciais, praças e parques, dos cultos, do futebol, além da antecipação do recesso escolar.

Segundo o colunista da CNN Caio Junqueira, os novos números da pandemia estão sendo acompanhados de perto. A apuração do colunista é de que, caso a situação não melhore nos próximos dias, novas medidas ainda mais restritivas estão sendo estudadas.