Depois da primeira dose, mortes de idosos com mais de 90 anos caem 34% no Rio

As internações hospitalares no grupo caíram 24% no mês de fevereiro, segundo dados obtidos pela CNN

Fernando Molica
Por Fernando Molica, CNN  
12 de março de 2021 às 13:46 | Atualizado 13 de março de 2021 às 00:49

Dados obtidos pela CNN revelam que, em fevereiro, quando começou a vacinação contra a Covid-19, houve uma redução de 34% de mortes pela doença de pessoas com mais de 90 anos internadas em hospitais públicos da cidade do Rio de Janeiro. As internações hospitalares no grupo caíram 24%.

Para o subsecretário-geral municipal de Saúde da capital fluminense, José Carlos Prado Júnior, os números são "animadores" e que a tendência está sendo mantida em março. Ressalvou, porém, ser ainda cedo para garantir que as reduções representam uma consequência da imunização.

Idosos fizeram fila e aglomeração com medo de faltar vacina
Foto: CNN

Frisou ser preciso verificar, por exemplo, dados como o índice de vacinação das pessoas internadas e mortas. Ressaltou também que pessoas acima de 90 são mais vulneráveis a qualquer doença. De acordo com o calendário da prefeitura do Rio, é improvável que tais pacientes tenham recebido a segunda dose, a que garante maior eficácia da imunização.

Em janeiro, foram registrados na rede pública do Rio 53 óbitos entre pessoas de 90 a 99 anos; em fevereiro, houve 35 mortes no grupo. A maior redução foi entre os de até 94 anos - de 42 para 27, diminuição de 36%. Na faixa seguinte, a queda foi de 11 para 8, 27%.

Os dados cariocas também demonstram uma queda na hospitalização: no primeiro mês do ano, foram internados 66 idosos de 90 a 94 anos; em fevereiro, 49. o que gerou uma diminuição de 26%. No grupo de 95 a 99 anos, 22 foram hospitalizados com covid em janeiro contra 18 em fevereiro, redução de 18%.

Segundo o subsecretário, mais de 90% dos imunizados no Rio - cerca de 460 mil pessoas - receberam a Coronavac, processada pelo Instituto Butantan.