Em meio a rumores de saída, Pazuello prepara anúncio de compra de vacinas

Auxiliares do ministro da Saúde comentam que situação dele no governo ficou insustentável

Basília Rodrigues
Por Basília Rodrigues, CNN  
14 de março de 2021 às 16:35 | Atualizado 14 de março de 2021 às 16:38
Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello
17.jan.2021 - Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello
Foto: Reprodução/CNN

Com rumores cada vez mais intensos de que está deixando a pasta, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, comunicou sua equipe vai anunciar a compra de vacinas da Pfizer e da Janssen nesta segunda-feira (15).

Depois de deixar nesse sábado (13) o encontro com o presidente Jair Bolsonaro, que para alguns selou sua saída do ministério, Pazuello, que oficialmente não confirma a demissão, teve a ideia de reunir jornalistas para divulgar uma das decisões mais importantes de sua gestão, que pode render ao Brasil cerca de 140 milhões de novas doses de vacinas contra o coronavírus.

Ao mesmo tempo, secretários da pasta aguardam a formalização da demissão de Pazuello. Na reunião com Bolsonaro, nenhum técnico da pasta foi chamado a participar. "O movimento para ele sair está muito forte", afirmou à CNN um dos principais auxiliares de Pazuello. "A situação estava insustentável". Segundo este integrante da Saúde, após o encontro com Bolsonaro "criou-se um movimento de saída".

Ao contrário do primeiro ministro da Saúde durante a pandemia do coronavírus, Henrique Mandetta, Pazuello evita entrevistas coletivas. Para auxiliares de Bolsonaro, esta é uma "boa" característica do ministro, que é visto como alguém que não busca o protagonismo a ponto de incomodar Bolsonaro. 

Dessa forma, explicam, Pazuello não será demitido por alguma coisa que tenha feito nem está insatisfeito o presidente. Um líder de governo resume dizendo "o ministro da Saúde é Bolsonaro; então, fica difícil tirar o Pazuello", em referência ao temperamento do ministro que nunca bateu de frente com o presidente.