Em São Paulo, vacinação de idosos de 71 e 70 anos começa no dia 29 de março

600 mil idosos serão imunizados nessa nova rodada de vacinação no estado

Weslley Galzo e Renato Barcellos, da CNN, em São Paulo
15 de março de 2021 às 13:04 | Atualizado 15 de março de 2021 às 14:20
Idoso recebe vacina contra Covid-19 em Nova Granada (SP), em 2 de março
Idoso é vacinado contra Covid-19 em Nova Granada (SP), em 2 de março
Foto: Prefeitura de Nova Granada (SP)/Divulgação

O governo do estado de São Paulo anunciou nesta segunda-feira (15) a data prevista para o início da campanha de vacinação de idosos de 70 e 71 anos. A imunização deste grupo terá início a partir do dia 29 de março em todo o território paulista. Cerca 600 mil pessoas serão vacinadas durante a nova convocação.

O estado também vai ganhar um novo hospital de campanha com capacidade para 180 pacientes, na capital. 

A partir do dia 22 de março é a vez dos idosos de 72 a 74 anos serem imunizados em São Paulo. Cerca de 730 mil pessoas dessa faixa etária serão imunizadas durante a campanha.

São Paulo iniciou nesta segunda-feira (15) a vacinação dos idosos a partir de 75 anos. A orientação do governo é que os municípios com população majoritariamente idosa reservem o período da manhã para vacinar as pessoas remanescentes dos grupos de maior faixa etária e priorizem a vacinação das pessoas mais jovens no período da tarde.

"Em números absolutos, sem dúvida nenhuma, o estado que mais vacina é o estado de São Paulo e estamos trabalhando para que isso seja uma dinâmica e possamos avançar para novas faixas etárias e novos grupos", disse Regiane de Paula, coordenadora de controle de doenças da Secretaria de Estado de Saúde.

De acordo com a coordenadora, o estado de São Paulo pode atingir nesta segunda-feira a marca de 4 milhões de vacinados. Ele ressaltou, entanto, que gostaria que o número fosse maior.

"Gostaríamos de vacinar mais. Temos primeiras doses 3.920.144 vacinados. Se tivéssemos mais vacinas, poderíamos avançar em todo estado", afirmou.

O governo do estado de São Paulo entregou nesta segunda-feira o maior lote da vacina Coronavac -- produzida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac Biotech -- ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde. Ao todo, 20,6 milhões de doses já foram repassadas desde o início do acordo de distribuição, firmado em 17 de janeiro.

A remessa enviada nesta segunda-feira é a que contém a maior quantidade do imunizante, são 3,3 milhões de doses da vacina Coronavac prontas para aplicação. O acordo feito entre o estado e a União prevê o envio de 46 milhões de doses até o final de abril.

O mês de março já movimentou 7,1 milhão de doses de vacina em quatro lotes de envio. O Butantan entregou até a metade do mês um número muito maior de imunizante do que no mês de fevereiro, quando 4,85 milhões de doses foram distribuídas para a União.