Governo de SP vai criar um novo hospital de campanha na capital

Weslley Galzo e Renato Barcellos, da CNN, em São Paulo
15 de março de 2021 às 12:56 | Atualizado 15 de março de 2021 às 15:20

O governador do estado de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta segunda-feira (15) a criação de um novo hospital de campanha, com localização no bairro da Santa Cecília, no centro da capital paulista. A unidade terá capacidade de 180 leitos, sendo 50 dedicados à UTI e 130 à enfermaria.

De acordo com o governo do estado, serão 900 profissionais da saúde trabalhando na unidade. Ainda segundo o governador, R$ 12 milhões serão investidos mensalmente para manutenção do hospital

O imóvel onde a unidade será instalada é particular e foi cedido ao estado. O governo de São Paulo vai anunciar a Organização Social responsável pelo gerenciamento da unidade nos próximos dias.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), durante coletiva nesta quinta-feira (11) para anunciar novas medidas restritivas
Foto: CNN (11.mar.2021)

O governador João Doria anunciou, na última semana, a abertura de 11 novos hospitais de campanhas no interior do estado, além de hospitais na capital e em Fernandópolis. 

A Secretaria Estadual de Saúde informou que, na semana passada, 1.118 novos leitos foram criados conter a alta de infecções provocadas pelo aumento da transmissão do coronavírus.

Apesar da criação dos novos leitos, o secretário de Saúde Jean Gorinchteyn disse que a demanda é de 150 leitos por dia para pacientes com a doença. "Não estamos vencendo a velocidade que essas pessoas estão chegando", disse.

O estado de São Paulo registrou desde o início do mês um aumento de 40,8% no número de internações por coronavírus nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Segundo dados do boletim epidemiológico do governo, são 10.244 leitos ocupados até o domingo (14). Em 1º de março, o estado tinha 7.276 pessoas na UTI.

O número de vagas ocupadas nas enfermarias também é recorde: 13.382. No total, são 23.626 (UTI + enfermaria) pessoas internadas em toda a rede hospitalar atualmente. O boletim apontava para um total de 15.977 pessoas em 1º de março.